Início > Artigo > História do Porto de Maceió



BRASIL, 20 DE OUTUBRO DE 1940

História do Porto de Maceió


A Previsão de melhoramentos no ancoradouro da cidade de Maceió data de 1875. Em 1896 a empresa The National Brazilian Harbour Company Ltd. obteve a concessão do porto nos permissivos da Lei Imperial nº 1.746, de 13 de outubro de 1869, mas não realizou as obras determinadas, sendo o contrato rescindido pelo Governo Federal em 1905.
Novos estudos foram elaborados a partir de 1910, contudo, o desenvolvimento das instalações sofreu impedimentos de ordem financeira. Pelo decreto nº 23.469, de 16 de novembro de 1933, a União autorizou o governo do estado de Alagoas a construir e explorar comercialmente o porto. A execução do atual projeto, teve início em 1935, a cargo da Companhia Geral de Obras e Construções S.A. - GEOBRA, ocorrendo a inauguração do cais em 20 de outubro de 1940.

Porém as operações começaram oficialmente em 23 de janeiro de 1942, quando houve o primeiro embarque de açúcar. Em 9 de agosto de 1963 foi editado o Decreto nº 52.345, transferindo a vinculação da Administração do Porto de Maceió para o Governo Federal, através do Departamento Nacional de Portos e Vias Navegáveis - DNPVN. Em 1975, o Governo Federal criou a Empresa de Portos do Brasil - PORTOBRAS, substituindo o DNPVN.

Em 1990, é extinta a PORTOBRAS e o Porto de Maceió é vinculado a Companhia Docas do Rio Grande do Norte - CODERN através de um convênio com a Secretaria de Transporte Nacional - STN e o Departamento Nacional de Transporte Aquaviário - DNPH. Durante a sua existência, o Porto de Maceió ampliou a sua estrutura realizando as obras de engenharia que datam desde 1942, com o acesso rodoviário, acesso ferroviário e cais com estação de passageiros.

O aterro hidráulico que propiciou o terminal açucareiro e o comercial totalizando 750 m de cais em 1974. Em 1978, o novo acesso rodoviário e o enrocamento para o seu lado externo e uma rede de energia elétrica; o píer petroleiro iniciado em 1989 e concluído em 1995. Em 1996, o porto realizou obra de dragagem do canal de acesso ao cais comercial.

Em Dezembro de 2001 foi iniciado a construção do cais para conteineres, prolongando o cais comercial em 80 metros com a extremidade norte do terminal açucareiro, formando uma dársena com 350m de extensão.

NA RETROÁREA

Pátio pavimentado com área de 26.000m² para movimentação e estocagem de contêineres.

Berço com profundidade de 08,50m, preparado para operar navios das frotas mais modernas do mundo, tipo Panamax.




Data: 2012-11-26

Artigos relacionados:

  • Deputado conhece novos projectos
  • Porto de Maceió recebe visita ministerial
  • Portode Maceió tem novo site

  •  Vídeo

    Porto de Lisboa – 6-7 Dezembro 2012

     “INTEGRAÇÃO DOS PORTOS DE TRANSHIPMENT NA AMÉRICA, ÁFRICA, EUROPA e ÁSIA” - Adalmir José de Sousa (4)

     VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

     IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

     IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

     Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

     VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

     VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

     VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

     Futuro Terminal de Cruzeiros do Rio de Janeiro

     Mindelo e São Vicente com muita morabeza

     Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

     Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

     VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

     VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

     VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

     VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

     Porto de Luanda - 1955

     Constituição da APLOP - 13.05.2011 - Primeiros momentos

     Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)

    Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)