Início > Artigo > Seis empresas concorrem para o estudo do impacto ambiental



NAVEGABILIDADE DO ZAMBEZE

Seis empresas concorrem para o estudo do impacto ambiental


Seis empresas estrangeiras manifestaram interesse na realização do estudo de viabilidade sobre a navegabilidade dos Rios Chire e Zambeze, desde Nsanje no Malawi, até ao Chinde, na província da Zambézia, na sequência do concurso lançado pelo governo malawiano.

O anúncio foi feito pelo ministro malawiano dos transportes e infra-estruturas, Sidik Mia.

Mia disse que o seu governo lançou este ano um concurso para a contratação de empresas nacionais e estrangeiras interessadas na realização do estudo de viabilidade, e adiantou que depois do tempo previsto, apenas seis companhias estrangeiras é que apresentaram as suas propostas.

Ele disse que presentemente o governo malawiano e o Secretariado da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral bem como o Banco Africano de Desenvolvimento estão a apreciar as seis propostas com vista a tomada de uma decisão definitiva.

Mia disse estar esperançado que até finais deste mês será conhecida a empresa que vai levar a cabo o estudo de viabilidade sobre a navegabilidade dos Rios Chire e Zambeze, que em principio terá a duração de dezoito meses.

O governo malawiano recebeu um empréstimo de três milhões e meio de doláres do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) para a realização do estudo de viabilidade.

Apesar de não ser uma das prioridades imediatas do governo da Presidente Joyce Banda, o Malawi entende ser necessário explorar várias opções para o acesso ao Oceano Índico em Moçambique, entre as quais a navegabilidade dos Rios Chire e Zambeze.

Este projecto foi concebido pelo falecido presidente Bingu wa Mutharika e uma vez concluído, tinha em vista permitir o acesso do Malawi ao Oceano Indico com vista a reduzir os custos de transporte.

A estratégia do Presidente Bingu wa Mutharika era tornar navegáveis os rios Chire e Zambeze desde Nsanje até ao Oceano Índico em Moçambique, numa distância de duzentos e quarenta quilómetros.

Como parte integrante do projecto, o Malawi construíu um porto fluvial em Nsanje, avaliado em vinte milhões de doláres.

O porto foi inaugurado em Outubro de 2010, mas até agora está inoperacional, porque Moçambique impõe como condição para a navegabilidade ou não dos rios Chire e Zambeze, a realização de um estudo de viabilidade ambiental.

O projecto global, está orçado em seis mil milhões de doláres, e inclui não só o porto de Nsanje, mas também a asfaltagem da estrada Blantyre-Nsanje e a dragagem dos Rios Chire e Zambeze.

Durante a administração de Bingu wa Mutharika, o Malawi tentou em Outubro de 2010, navegar os rios Chire e Zambeze sem autorização do governo moçambicano, o que criou alguma tensão entre os dois países.

Fica ainda uma nota. O Malawi celebra esta sexta-feira quarenta oito anos da proclamação da independência nacional.

Apesar de ser feriado, o governo decidiu impôr sérias restrições em termos de comemorações devido as medidas de austeridade adoptadas pelas autoridades malawianas para fazer face a crise económica.

fonte




Data: 2012-07-07

 Vídeo

Sobrevoando a Restinga e a cidade do Lobito (Angola)

 VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

 VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

 Mindelo e São Vicente com muita morabeza

 Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

 Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Francisca Chambal

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Robledo Gioia

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Sandra Augusto

 VI CONGRESSO DA APLOP - Abertura do Painel I - Lídia Sequeira

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Adriano Rosamonte

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Augusto Fernando Cabi

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Madalena Neves

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Fernando Nunes da Silva

 Congresso Intercalar Portos CPLP - Rio de Janeiro – Domingos Fortes (1)

 “EXPERIÊNCIA DO PORTO DE LEIXÕES NA FORMAÇÃO PORTUÁRIA”- Matos Fernandes (1)

 IV Encontro de Portos da CPLP – Menção Honrosa a Lima Torres

 IV Encontro de Portos da CPLP - Sessão de encerramento - Franklim Spencer

 “GEOPOLÍTICA DO MAR” - Carlos Manuel Mendes Dias (1)

 Novo Porto do Dande - Domingos Fortes (1)

 IV Encontro de Portos da CPLP - Franklin Spencer

 «Há muito potencial de crescimento nas relações comerciais Portugal/Brasil» (1)

 Porto de Luanda - 1955

 III Encontro de Portos da CPLP - Adalmir José de Sousa

 III Encontro de Portos da CPLP – Apresentação da Mesa de Honra

 III Encontro de Portos da CPLP - Estudo de mercado - (13) – Debate

 Constituição da APLOP

Constituição da APLOP

Foto de família