Início > Artigo > Economia angolana cresce 9,1% este ano e 8,8% em 2013



Economia angolana cresce 9,1% este ano e 8,8% em 2013


A economia angolana deverá crescer 9,1% este ano e 8,8% em 2013, segundo as estimativas do Centro de Estudos e Investigação Científica (CEIC) da Universidade Católica de Angola, num relatório a divulgar esta terça-feira.

No "Relatório Económico de Angola", o CEIC, que cumpre agora dez anos, considera que o ano em curso "dirá se a retoma do crescimento económico em Angola se fará com a mesma intensidade da verificada durante a 'mini-idade de ouro'", que decorreu entre 2004 e 2008, quando a taxa média anual de crescimento do PIB foi de 17%, "a maior de África e uma das maiores do mundo".

"Não estará a economia angolana a entrar num período de crescimento menos intenso, ainda que bastante positivo?", questiona o CEIC, num resumo do relatório, a que a Lusa teve acesso.

As perspetivas do CEIC para o crescimento do PIB de Angola em 2012 - de 9,1% - são mais otimistas do que as do Banco Mundial (8,1%) e do Banco Africano para o Desenvolvimento (BAD - 8,2%) e mais pessimistas do que as do governo de Luanda (9,8%) e do Fundo Monetário Internacional (FMI - 9,7%).

Já as perspetivas para 2013, de 8,8%, são melhores do que as do FMI (6,8%) e do BAD, de 7,1%. Para 2014, o CEIC prevê um crescimento económico de 7,5% do PIB.

A previsão do abrandamento do crescimento económico em 2013 e 2014 tem em conta "o risco de a economia mundial poder entrar novamente em recessão", explica o resumo do relatório, citando "algumas agências e economistas de referência", que temem que "a crise das dívidas soberanas na Europa possa desencadear efeitos sistémicos semelhantes às turbulências verificadas em 2008 e 2009".

 

Numa análise setorial da economia angolana, o CEIC prevê que a agricultura seja o setor que mais cresce em 2012, com um aumento de 13,2%, o que poderá ser consequência da implementação de projetos agrícolas e da concretização de medidas de apoio à iniciativa privada anunciadas pelo Governo.

Por outro lado, admite o CEIC, "a entrada em funcionamento dos grandes empreendimentos no domínio do gás e dos derivados do petróleo ajudará a diversificar a indústria transformadora", enquanto o investimento público em obras públicas e a construção civil "continuarão a desempenhar um papel positivo na estratégia de crescimento do país".

O relatório destaca ainda que, "pela primeira vez desde que o objetivo de redução da inflação foi eleito como um dos principais da política económica do Governo, o valor do índice de preços no consumidor se situou abaixo da meta".

Ainda assim, "permanece o desafio de situá-la em um dígito", embora a meta oficial para 2012 tenha sido estabelecida ainda em 10%.

O relatório dedica um capítulo à diversificação da economia, que está a ser estudada por uma equipa conjunta do CEIC e do Christian Michelsen Institute de Bergen (Noruega).

Nas palavras do diretor do CEIC, o professor universitário Manuel José Alves da Rocha, os indicadores "apontam para um baixo grau de diversificação", o que significa que "a economia ainda está muito concentrada, tanto em termos setoriais como territoriais".

Mas o especialista sublinhou que a diversificação da economia "é um processo muito longo", que pode demorar 20, 30 ou 40 anos a concretizar-se.

"Não podemos esperar que as transformações estruturais aconteçam da noite para o dia", disse, referindo que os instrumentos que estão a ser utilizados já foram experimentados noutros países e "são medidas acolhidas pela ciência económica".

O "Relatório Económico de Angola" será divulgado na terça-feira em Luanda, numa conferência comemorativa dos 10 anos do CEIC, sob o tema "crescimento económico e crise na última década".

fonte




Data: 2012-06-04

 Vídeo

Sobrevoando a Restinga e a cidade do Lobito (Angola)

 VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

 VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

 Mindelo e São Vicente com muita morabeza

 Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

 Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Francisca Chambal

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Robledo Gioia

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Sandra Augusto

 VI CONGRESSO DA APLOP - Abertura do Painel I - Lídia Sequeira

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Adriano Rosamonte

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Augusto Fernando Cabi

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Madalena Neves

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Fernando Nunes da Silva

 Congresso Intercalar Portos CPLP - Rio de Janeiro – Domingos Fortes (1)

 “EXPERIÊNCIA DO PORTO DE LEIXÕES NA FORMAÇÃO PORTUÁRIA”- Matos Fernandes (1)

 IV Encontro de Portos da CPLP – Menção Honrosa a Lima Torres

 IV Encontro de Portos da CPLP - Sessão de encerramento - Franklim Spencer

 “GEOPOLÍTICA DO MAR” - Carlos Manuel Mendes Dias (1)

 Novo Porto do Dande - Domingos Fortes (1)

 IV Encontro de Portos da CPLP - Franklin Spencer

 «Há muito potencial de crescimento nas relações comerciais Portugal/Brasil» (1)

 Porto de Luanda - 1955

 III Encontro de Portos da CPLP - Adalmir José de Sousa

 III Encontro de Portos da CPLP – Apresentação da Mesa de Honra

 III Encontro de Portos da CPLP - Estudo de mercado - (13) – Debate

 Constituição da APLOP

Constituição da APLOP

Foto de família