Início > Artigo > Como e onde investir em São Tomé e Príncipe



Como e onde investir em São Tomé e Príncipe


Decorreu ontem em Oeiras, Portugal, no hotel Targuspark, a apresentação do plano estratégico de desenvolvimento e investimentos em São Tomé e Príncipe, apresentado pelo primeiro-ministro, Patrice Trovoada. Uma iniciativa do grupo AITECOREIRAS em parceira com o governo santomense.

O primeiro-ministro apresentou um país com vontade de atrair investidores e disposto a dar largos passos na criação das condições necessárias para que haja de facto esses investimentos no país. A governação electrónica, a criação de uma zona franca, o reforço das ligações aéreas com outros países, a infra-estruturação, as telecomunicações com a chegada do novo cabo submarino e a exploração dos blocos de petróleo foram os pontos alvos desta apresentação.

Trovoada fez um convite às empresas e aos investidores portugueses a verem São Tomé e Príncipe como uma porta de entrada para os mercados emergentes no continente africano, nomeadamente dos países que fazem parte da sub-região da África austral, como a Nigéria, Camarões, Costa do Marfim, Senegal, Gana, Angola, entre outros.

O mar e o porto de águas profundas

Uma questão chave na apresentação do primeiro-ministro santomense foi a construção do porto de águas profundas para o transbordo de mercadorias, que vai servir como motor de dinamização do comércio com os países vizinhos dessa sub-região africana.

Os estudos de viabilidade do projecto encontram-se em fase de conclusão e contaram com o financiamento do Brasil. Com a construção do porto, o governo pretende atrair os grandes mercadores e empresas de cabotagem para passarem a usar o espaço marítimo santomense para transbordo de mercadorias, onde já existe uma parceira com a empresa MACGM neste sentido.

O objectivo é, segundo Patrice trovoada, “servir” os países vizinhos da sub-região e as economias emergentes em África, como por exemplo de países como o Gana.

Com uma área marítima de 160 milhas e um mar rico em recursos, São Tomé e Príncipe afirma-se como um pequeno país de grandes oportunidades, algumas ainda por explorar.

A exploração do petróleo do bloco I que deve iniciar nos anos 2015 e 2016, em parceira com a empresa petrolífera, Total, constitui outro dos grandes projectos do executivo.

A aposta no turismo e na agricultura "gourmet"

Modernizar as práticas agrícolas e a introdução de novas culturas, nomeadamente o cultivo de palmeiras produtoras de óleo de palma e o reforço da produção de cacau, são algumas das metas que o governo de Patrice Trovoada pretende concretizar nos próximos anos.

A agricultura "gourmet" é, nas palavras de Patrice Trovoada, uma aposta na produção de produtos de alta qualidade para satisfazer as exigências dos mercados de exportação bem como dar respostas aos estabelecimentos hoteleiros na qualidade dos produtos.

De acordo com o primeiro-ministro, 60% das terras agrícolas estão em África, e os investimentos nestes domínios devem ser pensados como fonte geradora de riqueza, quer para as populações quer para os investidores.

No sector do turismo estão previstos vários investimentos, desde a construção de hotéis de luxo, centros comerciais, reabilitação das vias rodoviárias com a introdução de algumas vias rápidas de modo a facilitar as viagens nas ilhas do Príncipe e de São Tomé. 

A ilha do Príncipe vai contar com um centro comercial de luxo e um hotel à beira-mar, projectos elaborados em parceria entre o governo e um investidor estrangeiro. O objectivo é atrair os turistas de consumo que se desloquem de África do Sul, Londres, Paris e Portugal para fazerem compras. Alguns desses turistas estão em países que ficam a menos de duas ou três horas de voo do arquipélago de São Tomé e Príncipe.

Com a construção do novo aeroporto, na ilha do Príncipe, o executivo santomense espera receber cerca de 20 mil turistas por ano. As potencialidades paisagísticas são imensas nesta matéria. Os quilómetros de praias paradisíacas e a diversidade da vegetação, transformam o país num mercado com grande potencial turístico, com as condições necessárias para concorrer com outros países da região, como Cabo Verde e as ilhas Canárias.

 Um pequenos país com grandes potencialidades

São Tomé e Príncipe tem uma população estimada em cerca de 180 mil habitantes, mas mais de 70 mil vivem fora do país, de acordo com o primeiro-ministro. Está neste momento em curso o censo geral da população onde se espera que as estatísticas estimem a população em 200 mil habitantes.

Um país constituído por duas ilhas, situado na linha do Equador, faz do arquipélago uma pérola turística. Um dos objectivos do governo passa também por realizar a cartografia do país, um mapa que vai permitir uma melhor gestão dos recursos e das políticas de desenvolvimento para cada localidade. O projecto é financiado pela cooperação com o Brasil.

fonte




Data: 2012-06-02

 Vídeo

Porto de Lisboa – 6-7 Dezembro 2012

 “INTEGRAÇÃO DOS PORTOS DE TRANSHIPMENT NA AMÉRICA, ÁFRICA, EUROPA e ÁSIA” - Adalmir José de Sousa (4)

 VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

 VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

 Futuro Terminal de Cruzeiros do Rio de Janeiro

 Mindelo e São Vicente com muita morabeza

 Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

 Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

 Porto de Luanda - 1955

 Constituição da APLOP - 13.05.2011 - Primeiros momentos

 Constituição da APLOP

Constituição da APLOP

Foto de família