Início > Artigo > U. S. Exploring Expedition dando a volta ao mundo



1838-1842 - EXPEDIÇÃO COMEÇOU A 17 DE AGOSTO

U. S. Exploring Expedition dando a volta ao mundo


Em 1838, os Estados Unidos da América lançaram ao mar uma ambiciosa expedição com a intenção de circum-navegar o globo.  A U. S. Exploring Expedition foi a primeira expedição científica norte-americana além-mar, realizada pela U. S. Navy em tempos de paz. Naquela época, o jovem país construía o seu Estado nacional e estava voltado para o expansionismo territorial, com a intenção de arrastar as suas fronteiras até ao Pacífico.

Em primeiro lugar, deve-se ressaltar que a U. S. Navy vinha se aparelhando no intuito de assegurar o fluxo do comércio norte-americano, além das suas fronteiras. Apenas 39 anos após a independência dos Estados Unidos, em 1815, o Congresso aprovou a criação do Mediterranean Squadron (Esquadra do Mediterrâneo), com o objetivo de conter a pirataria no Norte da África (regiões da Argélia, Tunis e Trípoli) e proteger os veleiros comerciais do país. Depois de conter a atividade de roubo de mercadorias na conhecida Barbary Wars (Guerras Bárbaras), alguns navios da U. S. Navy permaneceram no local, garantindo a circulação dos veleiros comerciais. Em 1822, foi criado o West Indian Squadron (Esquadra das Índias Ocidentais), com a intenção de fiscalizar o trânsito de navios no Caribe, "protegendo o comércio dos Estados Unidos" nas ilhas do mar das Antilhas. Em 1821, devido ao crescimento da caça à baleia, foi criado o Pacific Squadron (Esquadra do Pacífico) e, em 1826, foi a vez da criação do Brazil Squadron (Esquadra do Brasil, também conhecida como esquadra do Atlântico Sul).8 Em 1835, foi aprovada a instituição do East Indian Squadron (Esquadra da Índia Oriental), e em 1841, o Home Squadron (Esquadra da Casa).

Além de garantir o fluxo do comércio norte-americano pelos mares, as esquadras tinham a função de proteger e auxiliar navios norte-americanos que estivessem perdidos ou mesmo avariados. Para a sua constituição, os Estados Unidos inspiraram-se na atividade marítima inglesa que já formara esquadras para controlar os interesses britânicos em algumas partes do mundo. Ainda que menor que aquelas, as esquadras norte-americanas revelam o desenvolvimento comercial e os interesses geopolíticos do jovem país.

Quando a U. S. Exploring Expedition zarpou de Norfolk, Virginia, os Estados Unidos já tinham quase todas as suas esquadras em funcionamento. Sob o comando do jovem e impetuoso capitão e cartógrafo Charles Wilkes, a expedição compreendia seis veleiros: as chalupas de guerra Vicennes e Peacock, o brigue Porpoise, o navio de abastecimento Relief e os navios de apoio Sea Gull e Flying Fish. Foram embarcados 346 homens, inclusive uma equipe de nove cientistas e artistas. Era a maior expedição científica já montada no Ocidente, superando em tamanho e em número de homens as expedições científicas européias de circunavegação que, em geral, partiam com um ou dois navios.

CONTINUE A LER ESTE ARTIGO AQUI


 

 

 


 



Data: 2012-04-22

Artigos relacionados:

  • As viagens científicas de circum-navegação e a disputa pelo Pacífico
  • A construção da rede de informações
  • Charles Wilkes descrevendo a sua sensação ao entrar no porto do Rio de Janeiro

  •  Vídeo

    Porto de Lisboa – 6-7 Dezembro 2012

     “INTEGRAÇÃO DOS PORTOS DE TRANSHIPMENT NA AMÉRICA, ÁFRICA, EUROPA e ÁSIA” - Adalmir José de Sousa (4)

     VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

     IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

     IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

     Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

     VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

     VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

     VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

     Futuro Terminal de Cruzeiros do Rio de Janeiro

     Mindelo e São Vicente com muita morabeza

     Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

     Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

     VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

     VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

     VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

     VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

     Porto de Luanda - 1955

     Constituição da APLOP - 13.05.2011 - Primeiros momentos

     Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)

    Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)