Início > Artigo > Quantos eram? Quantos eram?



FAMÍLIA REAL CHEGA AO BRASIL

Quantos eram? Quantos eram?


Eram 30 000, 4 500 ou 500? Os historiadores não se entendem sobre o número de pessoas que
a família real trouxe até ao Brasil. Trabalhos publicados no fim do século XIX mencionavam até 30.000 pessoas. Em revisões posteriores, chegou-se aos 15 000, que figuram hoje nos livros didácticos. Nos últimos anos, esse dado tornou-se ainda mais movediço. Já se falou em 8 000, reduziu-se para 4 000 e chegou-se a afirmar que eram apenas 500 pessoas a compor a corte que desembarcou no Rio.

CONTINUE A LER ESTE ARTIGO AQUI

LEIA TAMBÉM

Família real portuguesa embarca para o Brasil




Data: 2012-01-24

Artigos relacionados:

  • Família Real chega à Baía

  •  Vídeo

    Porto de Lisboa – 6-7 Dezembro 2012

     “INTEGRAÇÃO DOS PORTOS DE TRANSHIPMENT NA AMÉRICA, ÁFRICA, EUROPA e ÁSIA” - Adalmir José de Sousa (4)

     VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

     IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

     IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

     Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

     VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

     VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

     VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

     Futuro Terminal de Cruzeiros do Rio de Janeiro

     Mindelo e São Vicente com muita morabeza

     Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

     Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

     VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

     VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

     VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

     VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

     Porto de Luanda - 1955

     Constituição da APLOP - 13.05.2011 - Primeiros momentos

     Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)

    Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)