Início > Artigo > Empresas portuguesas mantêm aposta na Guiné



Empresas portuguesas mantêm aposta na Guiné


As empresas portuguesas preferem manter-se à distância da evolução política na Guiné-Bissau. E apesar do falecimento prematuro do Presidente, Malam Bacai Sanhá, aos 64 anos de idade, ter levantado entre os analistas receios de um aumento da instabilidade política na antiga colónia portuguesa, as empresas portuguesas não tencionam alterar os seus laços comerciais com este país, que no ano de 2010 atingiram os 30 milhões de euros.

"Não comentamos desenvolvimentos políticos nos países onde operamos", disse ao Diário Económico fonte oficial da Galp, que é, através da Petrogal, uma das principais empresas nacionais a operar na Guiné-Bissau. Já Carlos Tibúrcio, gerente da Grutib - Comércio Internacional, desabafou dizendo que "neste momento, não parece que possa haver alguma coisa pior do que o que já aconteceu". Para este responsável, não deverá haver "grande perturbação" da vida da sociedade guineense, indo a firma "continuar a exportar" para o país. Carlos Tibúrcio admitiu, entretanto, que "os angolanos têm tido algum papel" na estabilização do país. Outras empresas, como a Sovena Portugal, dizem estar ainda a "estudar a situação", sem se pronunciarem sobre a evolução da política local.

fonte




Data: 2012-01-10

 Vídeo

Porto de Lisboa – 6-7 Dezembro 2012

 “INTEGRAÇÃO DOS PORTOS DE TRANSHIPMENT NA AMÉRICA, ÁFRICA, EUROPA e ÁSIA” - Adalmir José de Sousa (4)

 VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

 VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

 Futuro Terminal de Cruzeiros do Rio de Janeiro

 Mindelo e São Vicente com muita morabeza

 Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

 Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

 Porto de Luanda - 1955

 Constituição da APLOP - 13.05.2011 - Primeiros momentos

 Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)

Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)