Início > Artigo > EUA lideram investimento estrangeiro em Moçambique



EUA lideram investimento estrangeiro em Moçambique


África do Sul, Maurícias e Portugal ficaram para trás, desta vez, no “ranking” da origem do Investimento Directo Estrangeiro (IDE) em Moçambique. Os Estado Unidos da América são agora os maiores investidores privados estrangeiros no país, segundo dados do Centro de Promoção de Investimentos referentes aos meses de Janeiro a Setembro de 2011.

Dados do Centro de Promoção de Investimentos (CPI) mostram que os Estados Unidos de América (EUA) assumiram, no terceiro trimestre deste ano, a liderança no “ranking” dos maiores investidores estrangeiros em Moçambique. De concreto, foi aprovado apenas um projecto de investimento dos EUA (avaliado em 58.5 milhões de dólares), que terá sido suficiente para deixar para trás a África do Sul, que na mesma altura do ano passado liderava a lista dos países de origem do investimento estrangeiro no país.

Os EUA não são tradicionais investidores no país, quando se observam dados da tendência da origem do Investimento Directo Estrangeiro (IDE) em Moçambique, onde aparecem países como a África do Sul, Maurícias e Portugal como os países que mais projectos e volume de investimentos submetem à aprovação no país. Prova disso, os EUA não constam da lista dos 20 maiores investidores estrangeiros referente aos primeiros nove meses de 2010.

Mas a dimensão do projecto da companhia Biworld International Cement Factory foi suficiente para colocar os EUA no topo dos maiores investidores estrangeiros. Trata-se do projecto de uma cimenteira que será instalada no distrito de Muxúnguè, na província de Sofala.

Recorde-se que em 2010 Portugal terminou na liderança do “ranking” do IDE, mas a crise que abala este país Europeu está a afectar a capacidade de internacionalização das empresas, o que resulta na redução do investimento em Moçambique. A crise não abala apenas Portugal, sendo que, de acordo com os dados do CPI, outros países da Zona Euro estão a investir cada vez menos no país.

Até ao terceiro trimestre de 2010, constavam dos cinco maiores IDE em Moçambique três países da Zona Euro (Bélgica, Itália e Portugal), mas no mesmo período do ano em curso não consta nenhum país do Euro nos primeiros lugares. Portugal, que é o país da zona da moeda única com mais vontade de investir em Moçambique, aparece na sétima do posição do último “ranking” de países de origem do IDE no país.

O lugar destes países foi assumido pela China e Noruega – dois países que não são também tradicionais investidores em Moçambique -, que no “ranking”aparecem na segunda e terceira posições, respectivamente.

A China beneficiou de aprovação de um total de quatro projectos de investimento avaliados em 45.1 milhões de dólares, tendo a China-Mozambique Cement & Mining Development Company, com um projecto avaliado em 34.3 milhões de dólares, sido a que mais contribuiu no volume de investimentos submetidos pela China para aprovação.

Por sua vez, a Noruega viu ser aprovado um projecto de investimento, avaliado em 22.3 milhões de dólares. Trata-se de um projecto de reflorestamento Sanga Afforestation, a ser desenvolvido no distrito de Sanga, província de Niassa.

Investimento global cai 83%

Os dados do CPI mostram ainda que o investimento provado nos primeiros nove meses de 2011 registou um pique de 83% quando comparado ao aprovado no mesmo período do ano passado. Os projectos até Setembro deste ano estão avaliados em 650 milhões de dólares, contra 2.4 mil milhões de dólares aprovados em 2011.

fonte




Data: 2012-01-02

 Vídeo

Porto de Lisboa – 6-7 Dezembro 2012

 “INTEGRAÇÃO DOS PORTOS DE TRANSHIPMENT NA AMÉRICA, ÁFRICA, EUROPA e ÁSIA” - Adalmir José de Sousa (4)

 VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

 VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

 Futuro Terminal de Cruzeiros do Rio de Janeiro

 Mindelo e São Vicente com muita morabeza

 Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

 Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

 Porto de Luanda - 1955

 Constituição da APLOP - 13.05.2011 - Primeiros momentos

 Constituição da APLOP

Constituição da APLOP

Foto de família