Início > Artigo > Cabo Verde já tem equipamento de controlo para exportação de produtos alimentares



CONTROLO E ANÁLISE DA PESCA

Cabo Verde já tem equipamento de controlo para exportação de produtos alimentares


A entrega simbólica do Equipamento de Controlo e Análise da Pesca, no valor de 18 mil contos, foi feita dia 6 de Dezembro, na Praia, pelas mãos do ministro do Turismo, Indústria e Energia. Material de “importância extrema”, como diz Humberto Brito, que possibilita a exportação de produtos alimentares para os mercados internacionais, dentro dos parâmetros exigidos. Na mesma cerimónia, o representante da União Europeia anunciou mais dois milhões de euros para o Programa Qualidade para a África Ocidental (PQAO).

A cerimónia foi pública e em lugar público. A Praça Alexandre Albuquerque, no Plateau, Praia, foi palco da entrega simbólica de equipamento de controlo e análise de pesca, no valor de 18 mil contos, ao Estado de Cabo Verde. Uma doação do Programa Qualidade para a África Ocidental (PQAO) que o ministro do Turismo, Indústria e Energia recebeu em mãos, numa entrega simbólica.

“Equipamento que vai para laboratórios de metrologia, químicos e de microbiologia, material simbólico mas, de grande importância, porque estamos num processo de implementação de um Sistema Nacional de Qualidade e esta implementação reverte-se de importância extrema para o futuro da nossa economia e para a inserção de Cabo Verde enquanto economia aberta e global”, destacou Humberto Brito.

A cerimónia aconteceu no final da reunião dos Comités Regionais, integrado no PQAO, onde durante dois dias, os responsáveis dos países da CEDEAO (Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental) discutiram o desenvolvimento da infra-estrutura regional de qualidade para toda a região oeste africana e a política regional de qualidade, entre outros temas e cujo relatório final estará disponível nesta quarta-feira, 7.

No entender do ministro cabo-verdiano, o Sistema Nacional de Qualidade (SNQ) “representa a credibilidade de um país, a sua capacidade de ser confiável por parte de terceiros e a importância do país que diz que 1 (Quilo) Kg é 1Kg, 1 (Litro) L é 1L, 1 (Metro) M é 1M e que as análises feitas correspondem efectivamente aos padrões internacionalmente aceites e que tudo o que país diz é aceite a nível internacional é credível e aceitável por todos”.

O SNQ entra em funcionamento com a implementação do Instituto de Gestão de Qualidade que, faz parte do Orçamento de Estado de 2012 e que, segundo Humberto Brito, “estará em funcionamento no início de 2012”. “Este momento, de implementação do SNQ, reveste-se definitivamente de uma importância crucial para o crescimento da nossa economia, para a capacidade competitiva das nossas instituições e empresas e, consequentemente, do país”, destacou Humberto Brito.

Ao asemanaonline, o presidente do Comité Nacional de Pilotagem de Cabo Verde explicou que, com este equipamento, e tendo em conta “os mercados e consumidores cada vez mais exigentes e críticos, é possível dar resposta ao mercado nacional e internacional”.

“A qualidade vai ser o nosso passaporte para irmos para os mercados internacionais e agora estamos mais preparados para dar resposta a nível de controlo e análise dos produtos, nomeadamente alimentares”, congratulou Vladimir Silva que explicou que “com as normas internacionais e produtos certificados, Made in Cabo Verde, o país tem todas as condições para exportar para qualquer parte”, nomeadamente para o mercado europeu e americano.

“Já temos entidades que fazem a aferição da balança e também já temos entidades que fazem a fiscalização, portanto, ao apetrecharmos mais ainda o país, Cabo Verde vai responder melhor às exigências internacionais e ao próprio mercado interno”, rematou.

Na mesma cerimónia oficial, que contou com a presença de todos os participantes da reunião dos Comités Regionais da CEDEAO, o representante da União Europeia Franz Hess anunciou, para alegria de todos, um novo financiamento e para que não restassem dúvidas, contou a novidade em francês e fez “um esforço” para também o dizer em português.

“Recebemos um pedido de extensão deste programa de qualidade, por parte da CEDEAO, e já posso anunciar que este pedido foi aceite e o programa vai receber mais dois milhões de euros, para um período de um ano”, realçou Franz Hess ao mesmo tempo em que elogiava o trabalho desenvolvido até aqui.

fonte
 




Data: 2011-12-10

Artigos relacionados:

  • «Indústria cabo-verdiana padece dos mesmo sintomas que a de África »

  •  Vídeo

    Porto de Lisboa – 6-7 Dezembro 2012

     “INTEGRAÇÃO DOS PORTOS DE TRANSHIPMENT NA AMÉRICA, ÁFRICA, EUROPA e ÁSIA” - Adalmir José de Sousa (4)

     VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

     IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

     IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

     Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

     VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

     VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

     VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

     Futuro Terminal de Cruzeiros do Rio de Janeiro

     Mindelo e São Vicente com muita morabeza

     Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

     Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

     VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

     VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

     VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

     VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

     Porto de Luanda - 1955

     Constituição da APLOP - 13.05.2011 - Primeiros momentos

     Constituição da APLOP

    Constituição da APLOP

    Foto de família