Início > Artigo > 26 nações avançam para criação de zona de comércio livre



ÁFRICA

26 nações avançam para criação de zona de comércio livre


Vinte e seis nações africanas de três zonas aduaneiras regionais discutem em Joanesburgo a harmonização dos seus mecanismos legais e financeiros no sentido de criar uma zona de comércio livre que beneficie uma população combinada de quase 700 milhões de pessoas.

A segunda cimeira tripartida do Mercado Comum da África Oriental e Austral (COMESA), Comunidade da Africa Oriental (EAC) e Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC) teve o seu início no passado domingo em Sandton, Joanesburgo, com a presença de cerca de duas dezenas de chefes de Estado e mais de um milhar de delegados, empenhados em lançar as bases de uma nova era de desenvolvimento continental integrado.

A Área de Comércio Livre Tripartida (ou T-FTA no original) poderá criar, uma vez oficialmente implementada, as condições certas para significativas melhorias na infraestrutura, maiores investimentos e diversificação da capacidade produtiva dos Estados-membros, afirmam os seus promotores.

Um mercado regional mais livre e alargado poderá, segundo os participantes nesta cimeira, reduzir de forma mais acelerada a pobreza e as desigualdades no continente e torná-lo mais competitivo nos mercados mundiais.

A 1ª cimeira da T-FTA teve lugar em Campala, Uganda, em 22 de Outubro de 2008

No seu discurso de abertura, o presidente sul-africano Jacob Zuma incentivou os participantes a avançarem na via da integração continental, considerando-a uma "ferramenta decisiva para o progresso de África".

"Necessitamos de alinhar estratégias de desenvolvimento e programas destinados a aliviar a pobreza, o sub-desenvolvimento, melhorar a segurança alimentar e outros problemas ao longo das fronteiras regionais e continentais. Nenhum país pode prosperar sozinho, por isso os nossos destinos estão interligados", disse Zuma.

Admitindo que a eliminação das taxas aduaneiras não resolverá por si só os problemas, o presidente da África do Sul exortou as nações presentes a investirem na cooperação e no desenvolvimento acelerado das capacidades industriais das suas economias para dotar o continente de infraestruturas, designadamente estradas e caminhos de ferro, e capacidade produtiva capazes de assegurar um desenvolvimento sustentado.
 

FONTE: DIÁRIO DE NOTÍCIAS




Data: 2011-10-09
Autor: 5606app

 Vídeo

Porto de Lisboa – 6-7 Dezembro 2012

 “INTEGRAÇÃO DOS PORTOS DE TRANSHIPMENT NA AMÉRICA, ÁFRICA, EUROPA e ÁSIA” - Adalmir José de Sousa (4)

 VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

 VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

 Futuro Terminal de Cruzeiros do Rio de Janeiro

 Mindelo e São Vicente com muita morabeza

 Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

 Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

 Porto de Luanda - 1955

 Constituição da APLOP - 13.05.2011 - Primeiros momentos

 Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)

Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)