Início > Artigo > Rhenus quer neutralizar 100% das emissões de carbono do seu serviço de grupagem marítima até 2030



Rhenus quer neutralizar 100% das emissões de carbono do seu serviço de grupagem marítima até 2030


O objectivo da neutralização das emissões de carbono em menos de uma década para os envios LCL é uma das estratégias da Rhenus para liderar a transição do sector para uma logística sustentável.

O grupo Rhenus comprometeu-se a neutralizar as emissões de carbono de todos os seus serviços de grupagem marítima para mercadorias de carga inferior a um contentor (LCL), até 2030. A partir de 2022, as mercadorias expedidas do centro de consolidação de carga marítima da Rhenus em Hilden (Alemanha) serão neutras em carbono, sem custos adicionais para os clientes. O serviço será progressivamente alargado a todos os portos gateway onde o grupo opera em todo o mundo.

«A consciência ambiental está firmemente enraizada em todas as operações da Rhenus, e o produto LCL neutro em carbono estabelece um novo marco na estratégia de sustentabilidade do grupo», refere a Rhenus em nota de imprensa. Em 2019, a empresa lançou o RHEGREEN, o primeiro programa mundial de redução de CO2 para carga aérea. Desde 2015, a Rhenus tem sido objecto de uma avaliação anual pela EcoVadis, uma agência independente que avalia as actividades relacionadas com a responsabilidade social das empresas de acordo com as normas internacionais, e tem sido reconhecida com a categoria prata há vários anos.

As apostas desenvolvidas pela Rhenus em todo o mundo em matéria de logística verde incluem um projecto de sete anos para a plantação de árvores na Índia, armazéns neutros em carbono com iluminação LED e alimentados por energia renovável, bem como a aposta na mobilidade eléctrica e em embalagens recicláveis na Ásia, Europa e América do Norte, a implementação de sistemas de gestão de energia na Alemanha e nos Países Baixos, e uma Floresta Corporativa do grupo Rhenus para apoiar projectos agroflorestais. A Rhenus continua ainda a explorar iniciativas para minimizar o impacto ambiental e novas tecnologias, em colaboração com instituições de investigação, parceiros e clientes, a fim de tornar a cadeia de abastecimento global mais sustentável.

fonte


 



Data: 2021-12-03

 Vídeo

Sobrevoando a Restinga e a cidade do Lobito (Angola)

  Portos do Brasil - NEWS

 Portos de Cabo Verde – News

 Portos de Moçambique – News

 Portos de Angola – News

 Portos de Portugal – News

 XII CONGRESSO DA APLOP | LUANDA, 2021 - Disponíveis todas as apresentações

 XII CONGRESSO DA APLOP | LUANDA, 2021 | Playlist com 23 vídeos no Youtube

 Acórdãos e Avisos da ANTAQ + Legislação avulsa

 Clipping com a actualidade dos portos brasileiros

 XII Congresso da APLOP | Luanda, 2021 | Alberto Bengue, Presidente da APANG

 XII Congresso da APLOP | Luanda, 2021 | Miguel Matabel

 XII Congresso da APLOP | Luanda, 2021 | Alcídio Nascimento

 XII Congresso da APLOP | Luanda, 2021 | Ted Lago

 XII Congresso da APLOP | Luanda, 2021 | Fátima Alves

 XII Congresso da APLOP | Luanda, 2021 | Nuno Araújo

 XII Congresso da APLOP | Luanda, 2021 | Lucas Rênio

 VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)

Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)