Início > Artigo > CDRJ faz acordo para compartilhamento de dados oceanográficos e meteorológicos nos Portos do Rio de Janeiro e de Niterói



BRASIL

CDRJ faz acordo para compartilhamento de dados oceanográficos e meteorológicos nos Portos do Rio de Janeiro e de Niterói


A Companhia Docas do Rio de Janeiro (CDRJ) celebrou um Acordo de Cooperação Técnica (ACT) com as Universidades Federais de Rio Grande (FURG) e do Rio de Janeiro (UFRJ), visando o compartilhamento do uso de equipamentos e de informações meteo-oceanográficas de interesse comum, no âmbito dos Portos do Rio de Janeiro e de Niterói.

O intercâmbio de dados ocorrerá entre o Sistema de Monitoramento da Costa Brasileira (SiMCosta), sob coordenação da FURG com auxílio local de equipe da UFRJ, e o Subsistema de Monitoramento Ambiental (SMA), parte integrante do VTMIS (sigla inglesa para o Sistema de Gerenciamento e Informação do Tráfego de Embarcações), em processo de implementação pela CDRJ nesses portos.

Segundo o Gestor de VTMIS dos Portos do Rio de Janeiro e de Niterói, Marcelo Villas-Bôas, a ideia do acordo surgiu em razão do interesse público e da vantagem econômica decorrentes da implantação integrada dos dois sistemas. “Ambos têm por finalidade aprimorar a consciência situacional marítima, a segurança da navegação e a gestão do tráfego aquaviário, atendendo aos respectivos objetivos institucionais e atribuições legais dos partícipes”, explicou.

Por meio desse ACT, a Autoridade Portuária terá acesso, de forma imediata e confiável, a dados meteorológicos e hidrológicos na Baía da Guanabara devidamente atualizados a cada 30 minutos. À curto prazo, a CDRJ compartilhará, com o SiMCosta, informações de mesma natureza geradas pela boia meteo-oceanográfica do VTMIS, que se pretende fundear nas proximidades da Ilha do Pai.

As informações produzidas pelas boias meteo-oceanográficas do SiMCosta, fundeadas na Baia da Guanabara (RJ-3 e RJ-4), são empregadas como base de dados para o software de calado dinâmico ReDraft®, da empresa Argonáutica Engenharia e Pesquisas, hoje utilizado pelas Praticagens do RJ e de SP para o cálculo da folga sob a quilha dos navios em tempo real. O processo de homologação desse software está em curso no Grupo de Trabalho (GT), sob coordenação da CDRJ, para estudar melhorias na acessibilidade aquaviária e que conta com a participação de representantes da Marinha do Brasil (MB), da Praticagem-RJ, bem como de terminais arrendados do Porto do Rio de Janeiro (ICTSI-Rio, Multi e Triunfo).

O prazo de vigência do ACT é de 36 meses, podendo, por interesse dos partícipes, ser prorrogado por períodos iguais e sucessivos de modo a alcançar e manter as metas traçadas no Plano de Trabalho.

Saiba mais sobre o SiMCosta

O SiMCosta é uma rede integrada de plataformas flutuantes ou fixas, dotadas de instrumentos e sensores, com funcionamento autônomo e capacidade de coletar, regularmente, variáveis oceanográficas e meteorológicas, transmitindo-as para uma central de processamento da FURG. O sistema de monitoramento integra a coordenação geral e as equipes locais que realizam pesquisa em seus respectivos ambientes costeiros.
As boias meteo-oceanográficas do SiMCosta, localizadas no Rio de Janeiro, medem as seguintes variáveis meteorológicas: radiação solar, velocidade e direção do vento, temperatura do ar, umidade relativa e pressão atmosférica. No tocante à hidrologia, são medidas: condutividade e temperatura da água, velocidade e direção de correntes, ondas e altura do nível do mar.


 




Data: 2021-01-08

 Vídeo

Sobrevoando a Restinga e a cidade do Lobito (Angola)

 VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

 VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

 Mindelo e São Vicente com muita morabeza

 Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

 Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Francisca Chambal

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Robledo Gioia

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Sandra Augusto

 VI CONGRESSO DA APLOP - Abertura do Painel I - Lídia Sequeira

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Adriano Rosamonte

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Augusto Fernando Cabi

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Madalena Neves

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Fernando Nunes da Silva

 Congresso Intercalar Portos CPLP - Rio de Janeiro – Domingos Fortes (1)

 “EXPERIÊNCIA DO PORTO DE LEIXÕES NA FORMAÇÃO PORTUÁRIA”- Matos Fernandes (1)

 IV Encontro de Portos da CPLP – Menção Honrosa a Lima Torres

 IV Encontro de Portos da CPLP - Sessão de encerramento - Franklim Spencer

 “GEOPOLÍTICA DO MAR” - Carlos Manuel Mendes Dias (1)

 Novo Porto do Dande - Domingos Fortes (1)

 IV Encontro de Portos da CPLP - Franklin Spencer

 «Há muito potencial de crescimento nas relações comerciais Portugal/Brasil» (1)

 Porto de Luanda - 1955

 III Encontro de Portos da CPLP - Adalmir José de Sousa

 III Encontro de Portos da CPLP – Apresentação da Mesa de Honra

 III Encontro de Portos da CPLP - Estudo de mercado - (13) – Debate

 Congresso Intercalar da APLOP - Rio de Janeiro - Março de 2012

Congresso Intercalar da APLOP - Rio de Janeiro - Março de 2012