Início > Artigo > Porto de Cabinda aposta na eficiência e competitividade



ANGOLA

Porto de Cabinda aposta na eficiência e competitividade


A administração vai no decurso deste ano apostar na eficiência e competitividade para atender às necessidades logísticas da província e da região onde se encontra localizada.

De acordo com o presidente do conselho de administração do porto de Cabinda, Samuel Sambo (na foto), que falava no âmbito dos 58 anos do Porto de Cabinda, indicou que a pretensão consta do plano estratégico do Porto (2017-2022), que inclui as obras do quebra-mar, terminal marítimo de passageiros e do porto de águas profundas do Caio.

Afirmou que essas infra-estruturas já atingiram níveis de execução satisfatória depois de paralisação por um período de cerca de dois anos.

Essas infra-estruturas são fundamentais para os níveis de competitividade que se pretende no Porto de Cabinda, para acabar a dependência do Porto de Ponta-Negra (Congo Brazaville) e do baldeamento de mercadorias e outras cargas contentorizadas a partir do Porto de Luanda.

Sublinhou que a exemplo das obras do quebra-mar e do Cais do Porto de Cabinda tem uma execução física na ordem de 65,90% e 52,25% de execução financeira.

Já o terminal marítimo de passageiros a execução física atingiu 63,20% e a financeira, 52,28 por cento.

A cargo das empresas, Chinesa CGGC e portuguesa Mota-Engil, ambos projectos, com um cronograma de execução de 24 meses, tinham uma conclusão prevista para Julho de 2018.

O quebra-mar terá uma extensão de 650 metros dentro do mar em forma de L e também vai proteger a actual ponte cais dos agentes agressivos do mar.


O quebra-mar e o terminal de Passageiros são dois projectos, após a sua conclusão, que vão desempenhar um papel estratégico em toda região, através das indústrias em desenvolvimento na província, incluindo o sector petrolífero e de gás, apoio ao comércio com as vizinhas repúblicas dos Congos Brazaville e Democrática do Congo.

Vai permitir o estabelecimento de ligação alternativa à província, via marítima com navios porta contentores convencionais do tipo Ferry-Boat e Rol/on-Roll/OFF, com capacidade para transportar cargas contentorizadas e carga geral.

Em 2019, a autoridade portuária programou movimentar, 366 mil e 87 toneladas de carga diversa e 18 mil e 516 contentores entre cheios e vazios e a atracagem de 427 navios na ponte Cais.

Em 2018, foram manuseados, 17 mil e 552 contentores cheios e vazios, um aumento de cinco (5) mil e 880 contentores em relação ao ano de 2017.

fonte


 



Data: 2020-02-16

 Vídeo

Porto de Lisboa – 6-7 Dezembro 2012

 “INTEGRAÇÃO DOS PORTOS DE TRANSHIPMENT NA AMÉRICA, ÁFRICA, EUROPA e ÁSIA” - Adalmir José de Sousa (4)

 VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

 VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

 Futuro Terminal de Cruzeiros do Rio de Janeiro

 Mindelo e São Vicente com muita morabeza

 Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

 Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Sandra Augusto

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

 Porto de Luanda - 1955

 Constituição da APLOP - 13.05.2011 - Primeiros momentos

 Constituição da APLOP

Constituição da APLOP

Foto de família