Início > Artigo > O espantoso Recife Mesoamericano



O espantoso Recife Mesoamericano


O Recife Mesoamericano, na América Central, tem metade do comprimento do seu famoso homólogo australiano. Em muitos aspectos, porém, é mais extraordinário.

Na linha de água, as raízes desta floresta florescem para baixo, expandindo as barbas desalinhadas, misturando-se com tapetes de algas, ofiurídeos esguios, estrelas-do-mar corpulentas e os pequenos organismos filtradores em forma de vaso, conhecidos por tunicados, devido às “túnicas” cor de laranja, roxas ou brancas. Havia também corais moles, ostras e esponjas em múltiplas tonalidades. Nada aqui se mostra sem adornos.

Os mangues são berçários fundamentais. Cardumes de peixes juvenis afastam-se para evitar as raízes arqueadas. Cada cardume assemelha-se a uma nuvem pálida de peixes translúcidos. As nuvens mais pálidas mal se vêem, compostas por criaturas acabadas de nascer pouco maiores do que as larvas de mosquito. Estas pequenas partículas são demasiado pequenas para merecerem nome. Estarão destinadas a passar a idade adulta numa pradaria de ervas marinhas, num recife de coral, no oceano aberto ou aqui mesmo, nos mangues? É muito cedo para dizer.

REPORTAGEM DA NATIONAL GEOGRAPHIC PARA LER NA ÍNTEGRA AQUI


 



Data: 2019-07-02

 Vídeo

Porto de Lisboa – 6-7 Dezembro 2012

 “INTEGRAÇÃO DOS PORTOS DE TRANSHIPMENT NA AMÉRICA, ÁFRICA, EUROPA e ÁSIA” - Adalmir José de Sousa (4)

 VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

 VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

 Futuro Terminal de Cruzeiros do Rio de Janeiro

 Mindelo e São Vicente com muita morabeza

 Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

 Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

 Porto de Luanda - 1955

 Constituição da APLOP - 13.05.2011 - Primeiros momentos

 Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)

Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)