Início > Artigo > Estudo mundial sobre impacto de micro-plásticos em animais marinhos filtradores passa por Cabo Verde



Estudo mundial sobre impacto de micro-plásticos em animais marinhos filtradores passa por Cabo Verde


Paulo Vasconcelos, aluno de Ciências Biológicas da Uni-CV, vive um misto de “orgulho e satisfação” por fazer parte das equipas mundiais que efectuam um estudo comparado do impacto de micro-plásticos e partículas naturais em animais marinhos filtradores.

É que Paulo, ao lado do seu colega alemão Leo Gottschalck, da Universidade de Rostock (Alemanha), tem consciência de que a experiência que têm em curso, numa das salas do Centro Oceanográfico do Mindelo (OSCM, na sigla em inglês), em São Vicente, pode, em caso de validação, trazer uma “revolução tremenda” para o futuro da humanidade.

No estudo estão envolvidas universidades de países como Chile, Portugal (Madeira), Brasil, Indonésia, Japão, África do Sul, Tasmânia e Israel, para além de Cabo Verde, ou seja, uma equipa em cada oceano, em diferentes latitudes, daí o “grande prazer” que Paulo revela por estar a representar Cabo Verde nesta experiência mundial.

E, no Dia Mundial do Ambiente, a Agência Inforpress foi conhecer “in loco” o estudo “entusiasmante” que é realizado numa parceria entre a Universidade de Cabo Verde (Uni-CV) o Instituto de Pesquisa Oceânica Alemã (Geomar) e Centro Oceanográfico do Mindelo.

O projecto denomina-se GAME, cujo intercâmbio internacional junta alunos de diferentes universidades do mundo e de diferentes cidades alemãs, sendo esta a segunda vez que a Uni-CV participa neste programa.

A ideia, contou Paulo Vasconcelos, é comparar quais são os efeitos do micro-plástico em relação às partículas naturais nesses organismos, a partir de um estudo que utiliza um pó vermelho, denominado Red Clay, ou seja “o famoso pó di terra industrializado”, mas com o mesmo tamanho de partículas, e a Diatom Cellite (uma espécie de cal industrializada) para comparar com PVC e com o plástico PMMA, utilizado na indústria do tratamento dentário.

Basicamente, continuou, será utilizado no estudo o molusco “Brachidontes puniceus”, que se pode encontrar na costa nordeste de São Vicente, que será dividido por garrafas de plástico (PED) de 2 litros, de formato liso, onde os animais serão oxigenados, mas com as partículas suspensas com a ajuda de uma pequena rede colocada no interior das garrafas.

“Depois vamos verificar a forma como os moluscos filtram a água, em quanto tempo e o número de partículas em suspensão”, precisou, sendo objectivo final observar qual o “real impacto” dos micro-plásticos nesses moluscos.

É que, conta Paulo Vasconcelos, já foram feitos diversos estudos a nível mundial sobre micro-plásticos, mas este é inédito porque nunca o micro-plástico foi comparado com outras partículas como neste estudo.

“Vamos procurar saber se o micro-plástico é realmente um problema e, quando fizermos todas as comparações, estaremos em condições de dizer, por exemplo, se os moluscos não se importam com os micro-plásticos, comem-nos e descartam-nos sem problemas, ou então se não conseguem descartar os micro-plásticos e se estes afectam seus órgãos internos, através de testes que vamos fazer de respiração, filtragem e outras”, precisou.

A primeira fase decorreu na Alemanha, durante um mês, em que Paulo Vasconcelos e Leo Gottschalck receberam a introdução sobre o projecto, que é coordenado por Mark Lens, que faz parte da equipe do Departamento de Ecologia Marinha do Geomar, em Kiel.

Agora têm seis meses para concluir o estudo em São Vicente e regressar à Alemanha para, numa “linha de comando”, inserir e trabalhar os dados recolhidos no terreno e apresentar os resultados.

“Quando tivermos os resultados finais do nosso trabalho, vamos comparar com outros estudos idênticos que estão a ser realizados por universidades de diversos países”, concretizou, na expectativa do “melhor resultado para Cabo Verde”.

Por se tratar do Dia Mundial do Ambiente, o futuro cientista aproveitou para apelar à consciência ambiental das pessoas, sobretudo no momento de descartar o lixo, e dá um exemplo: “No dia 01 de Maio, andávamos à procura das garrafas de plástico para a experiência e, na Baía das Gatas, encontramos mais de 30 garrafas na praia, sorte para nós que delas necessitávamos, mas mau para o ambiente, um desastre”.

“Por descuido uma pessoa lança uma garrafa de plástico no mar e diz que é apenas uma garrafa, uma beata de cigarro, não vai acontecer nada, mas isto é dito por 7 biliões de pessoas por dia, lixo que depois vai regressar, através de micro-plásticos, à mesa de cada um”, enfatizou.


 



Data: 2019-06-22

 Vídeo

Porto de Lisboa – 6-7 Dezembro 2012

 “INTEGRAÇÃO DOS PORTOS DE TRANSHIPMENT NA AMÉRICA, ÁFRICA, EUROPA e ÁSIA” - Adalmir José de Sousa (4)

 VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

 VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

 Futuro Terminal de Cruzeiros do Rio de Janeiro

 Mindelo e São Vicente com muita morabeza

 Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

 Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

 Porto de Luanda - 1955

 Constituição da APLOP - 13.05.2011 - Primeiros momentos

 Constituição da APLOP

Constituição da APLOP

Foto de família