Início > Artigo > Docas do Rio regista subida de 2,8% na movimentação de cargas



BRASIL

Docas do Rio regista subida de 2,8% na movimentação de cargas


A Companhia Docas do Rio de Janeiro (CDRJ) registou, no 1º trimestre de 2019, uma movimentação de 13.949.128 toneladas, o que corresponde a um aumento de 2,8% em comparação ao mesmo período de 2018. Os dados foram analisados e divulgados pela Gerência de Inteligência de Mercado e Estatística da empresa.

Esse crescimento é influenciado pelos granéis sólidos, responsáveis por 84,4% da movimentação total, com destaque para ferro gusa e trigo, operados no Porto do Rio de Janeiro; e minério de ferro e carvão, operados no Porto de Itaguaí.

Porto do Rio de Janeiro

Com uma movimentação total de 1.674.980 toneladas, o Porto do Rio de Janeiro atingiu um crescimento de 2,4% em relação ao 1º trimestre do ano passado. O aumento deve-se à carga conteinerizada e granéis sólidos, que representam 58% e 26%, respectivamente, da movimentação total do porto, em toneladas.

A movimentação de contêineres no Porto do Rio cresceu 14% na comparação com o 1º trimestre de 2018, com destaque para o aumento de 58,8% na importação de longo curso de contêineres cheios da arrendatária Libra. No caso da arrendatária Multiterminais, tanto a importação como a exportação de longo curso registraram aumentos de 0,5% e 24%, respectivamente. Já a movimentação de passageiros cresceu 25% no Terminal de Cruzeiros Pier Mauá, devido as escalas de navios mais modernos, com maior capacidade.

Porto de Itaguaí

No Porto de Itaguaí, o crescimento foi de 2,9% em relação ao 1º trimestre de 2018. O destaque é o aumento de 6,2% na movimentação de granéis sólidos, que representam 92% da movimentação total do porto. Essa alta é influenciada pela exportação de minério de ferro das arrendatárias CSN e CPBS.

Já a movimentação de contêineres do Porto de Itaguaí teve uma queda significativa de 24% em toneladas, ocasionado por perdas de linhas de cabotagem por decisão da empresa de navegação, em virtude da retração do mercado. Entretanto, vale ressaltar que a parceria entre a MRS e o terminal Sepetiba Tecon tem viabilizado, por meio da ferrovia, um serviço logístico eficiente e competitivo.
 


 



Data: 2019-05-13

 Vídeo

Porto de Lisboa – 6-7 Dezembro 2012

 “INTEGRAÇÃO DOS PORTOS DE TRANSHIPMENT NA AMÉRICA, ÁFRICA, EUROPA e ÁSIA” - Adalmir José de Sousa (4)

 VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

 VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

 Futuro Terminal de Cruzeiros do Rio de Janeiro

 Mindelo e São Vicente com muita morabeza

 Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

 Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

 Porto de Luanda - 1955

 Constituição da APLOP - 13.05.2011 - Primeiros momentos

 Congresso Intercalar da APLOP - Rio de Janeiro - Março de 2012

Congresso Intercalar da APLOP - Rio de Janeiro - Março de 2012