Início > Artigo > Novas lanchas reforçam fiscalização pesqueira



NAMIBE, ANGOLA

Novas lanchas reforçam fiscalização pesqueira


Duas lanchas de marca Honda com sete metros e meio cada uma foram entregues pela ministra das Pescas e Ciências do Mar, Maria Antonieta Baptista, no município do Tômbwa.

 

Os meios que entram agora em operação nos mares do município do Tômbwa e da comuna da Lucira, vão ajudar no trabalho de vigilância marítima, no âmbito da “ Operação no Mar”.

Estes meios serão reforçados com mais uma embarcação afecta ao Ministério das Pescas, que foi recuperada recentemente depois de uma avaria.

A titular lembrou que no âmbito do combate à pesca ilegal, no Tômbwa, foram retidas, de Agosto de 2018 a Janeiro de 2019, sete embarcações na sua maioria com tripulação chinesa que faziam a pesca de forma ilícita, sem nenhuma documentação e falta de meios de segurança.

A governante elogiou ainda o trabalho que esta a ser desenvolvido pelos armadores de pesca no município do Tômbwa, facto que tem melhorado nos últimos dois meses os índices de captura de pescado.

Com relação a inoperância do laboratório da vila piscatória do Tômbwa, a ministra disse não ser o único, sustentando que esforços estão a ser envidados para que tal situação seja resolvida, no quadro da melhoria da qualidade de exportação do pescado.

“ Pretendemos nos próximos tempos invadir os nossos mercados com a indústria de conserva, mas para isso, é necessário que tenhamos laboratórios capazes de certificar o nosso produtos e assim cumprimos com as exigências que são feitas internacionalmente”, acrescentou.

Ainda no quadro desta “invasão”, Maria Antonieta Baptista garantiu existir um programa de formação para a pesca artesanal já aprovado, sendo Luanda a província piloto, seguida de Benguela, Cuanza Sul e Namibe.

O mesmo projecto de formação, segundo ainda a ministra vai estender-se a Pesca continental e aquicultura, garantindo neste capítulo o consórcio de três empresas que produzirão ração, além da formação de pescadores que receberem alivinos e outros produtos do mar.

“ Com a transferência de competência temos que ajudar as administrações manusear as pessoas envolvidas , pois as autarquias é processo que precisa de quadros competentes e com qualidade desejáveis dando assim um novo rumo a pesca angolana”, reforçou.
 


 



Data: 2019-03-31

 Vídeo

Porto de Lisboa – 6-7 Dezembro 2012

 “INTEGRAÇÃO DOS PORTOS DE TRANSHIPMENT NA AMÉRICA, ÁFRICA, EUROPA e ÁSIA” - Adalmir José de Sousa (4)

 VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

 VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

 Futuro Terminal de Cruzeiros do Rio de Janeiro

 Mindelo e São Vicente com muita morabeza

 Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

 Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

 Porto de Luanda - 1955

 Constituição da APLOP - 13.05.2011 - Primeiros momentos

 Constituição da APLOP

Constituição da APLOP

Foto de família