Início > Artigo > Consultora admite recuperação do comércio marítimo da América do Sul



Consultora admite recuperação do comércio marítimo da América do Sul


Depois de três anos em queda, entre 2014 e 2017, o comércio da América do Sul com o resto do mundo recuperou, conforme indiciam dados apresentados por um relatório da consultora Dynamar, o «South America Container Trades», refere o Maritime Executive. Ali se refere que o transporte de contentores cheios entre a América do Sul e o resto do mundo superou 10 milhões de TEU em 2017, mais 8% do que em 2016, denotando uma recuperação. Para a consultora, em 2021 este indicador deverá atingir 14 milhões de TEU.

De acordo com o relatório, que cobre o Chile, o Perú, o Equador, a Colômbia, o Brasil, o Uruguay e a Argentina, todos países costeiros, e dois países interiores, como são a Bolívia e o Paraguai, em 2017, mais de 50 portos da América do Sul registaram um movimento de contentores de 22 milhões de TEU, mais 6,4% do que no ano anterior. Só o Brasil, responde por 47% deste movimento. O Chile, na costa leste, responde por 20%.

O documento também refere que um desenvolvimento portuário incoerente levantou preocupações na costa leste. E menciona a retirada de concessões do Brasil, anúncios de políticas conflituantes e a provável consolidação de várias concessões portuárias em Buenos Aires, na Argentina, em 2020, como factores que merecem reflexão. Segundo se refere, pelo menos três operadores portuários estarão a pensar reduzir a sua presença, ou mesmo a abandoná-la, nalguns casos.

Ali se identificam também 47 serviços com ligações directas à América do Sul, prestados por 341 navios, cada um com uma capacidade média para 6.500 TEU. A maior capacidade média instalada recai nas rotas do Extremo Oriente, seguidas pelas rotas da Europa e América do Norte, respectivamente. São rotas que escalam 38 portos sul-americanos, dos quais 21 situados na costa leste e 17 na costa oeste.

Em termos de empresas de transporte marítimo, algumas das mais conhecidas desapareceram da região. A chilena CSAV integrou-se na Hapag-Lloyd (2014) e a também chilena CCNI fundiu-se com a Hamburg Süd (2015). As principais empresas do sector presentes nesta região são a Maersk Line (que inclui a Hamburg Süd e a Aliança) e a MSC, respectivamente.

No total, 23 empresas, com uma capacidade para 2.2 milhões de TEU, estão activas nas ligações marítimas à América do Sul, unindo-a a 77 portos do Extremo Oriente, Europa, América Norte e Central e África.

fonte


 



Data: 2019-02-18

 Vídeo

Porto de Lisboa – 6-7 Dezembro 2012

 “INTEGRAÇÃO DOS PORTOS DE TRANSHIPMENT NA AMÉRICA, ÁFRICA, EUROPA e ÁSIA” - Adalmir José de Sousa (4)

 VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

 VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

 Futuro Terminal de Cruzeiros do Rio de Janeiro

 Mindelo e São Vicente com muita morabeza

 Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

 Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

 Porto de Luanda - 1955

 Constituição da APLOP - 13.05.2011 - Primeiros momentos

 Congresso Intercalar da APLOP - Rio de Janeiro - Março de 2012

Congresso Intercalar da APLOP - Rio de Janeiro - Março de 2012