Início > Artigo > Líderes do transporte marítimo criam associação para digitalização e interoperabilidade



Líderes do transporte marítimo criam associação para digitalização e interoperabilidade


A A.P. Moller-Maersk, a CMA CGM, a Ocean Network Express (ONE), a Hapag-Lloyd e a MSC agregaram forças para formar uma nova associação de armadores de carga contentorizada para abrir caminho, em total sinergia de esforços, à digitalização, padronização e interoperabilidade no seio da própria indústria.

Nova associação do ‘top-5’ do transporte contentorizado arrancará funções em 2019

Trata-se de um passo gigantesco rumo a estes três desígnios no âmbito do Shipping contentorizado, um marco transversal deste sector dado o carácter global das cinco entidades, actualmente as cinco maiores linhas marítimas do mundo no que toca ao transporte de contentores. A nova associação arrancará em 2019, sujeita previamente aos requisitos regulatórios aplicáveis, adiantaram as empresas.

Armadores juntam forças para um Shipping «com menos burocracia e mais transparência»

As cinco companhias mandataram os seus líderes da área de TI para formarem uma sinergia com vista à criação de padrões comuns de informação tecnológica, gratuitamente disponíveis para todos os interessados ​​no segmento de transporte de contentores. Andre Simha (MSC), já citado outrora pela Revista Cargo neste domínio, afirmou que este passo é um esforço rumo «a menos burocracia e mais transparência».

Andre Simha: «As tecnologias emergentes criam novas oportunidades para o cliente»

«No momento certo, as tecnologias emergentes criam novas oportunidades para o cliente. Juntos, ganhamos força ao fornecer inovações tecnológicas e novos serviços aos nossos clientes», comentou o chefe do departamento informático da MSC, enfatizando os ganhos de uma abordagem colectiva face às tradicionais posturas individuais.

As cinco companhias marítimas identificaram a necessidade da existência de um corpo neutro (sem fins lucrativos) capaz de agregar valor competitivo no contexto do transporte marítimo contentorizado. Este corpo neutro, revelaram as companhias, existirá para garantir a interoperabilidade através da padronização. «Receberemos quaisquer novos membros de braços abertos, para se unirem à associação», disse ainda Simha.

Adam Banks: padronização «garantirá a interoperabilidade»

Para Adam Banks, director de tecnologia da A.P. Moller-Maersk, a implementação de «um conjunto de normas técnicas garantirá a interoperabilidade e permitirá que todas as partes se concentrem na diferenciação de valor agregado à medida que a indústria de transporte de contentores avança rumo a uma maior digitalização», o que conduzirá a um benefício «de todas os envolvidos nas cadeias de abastecimento» dos clientes.

fonte
 


 



Data: 2018-12-01

 Vídeo

Porto de Lisboa – 6-7 Dezembro 2012

 “INTEGRAÇÃO DOS PORTOS DE TRANSHIPMENT NA AMÉRICA, ÁFRICA, EUROPA e ÁSIA” - Adalmir José de Sousa (4)

 VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

 VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

 Futuro Terminal de Cruzeiros do Rio de Janeiro

 Mindelo e São Vicente com muita morabeza

 Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

 Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

 Porto de Luanda - 1955

 Constituição da APLOP - 13.05.2011 - Primeiros momentos

 Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)

Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)