Início > Artigo > Navios autónomos com menos riscos do que drones e automóveis sem condutor



Navios autónomos com menos riscos do que drones e automóveis sem condutor


Os navios autónomos e os veículos aéreos não tripulados (vulgo drones) enfrentam menos obstáculos à sua utilização do que os automóveis sem condutor, de acordo com um inquérito feito entre os seus membros pela International Underwriting Association (IUA), uma associação formada por seguradoras, para avaliar o impacto destas tecnologias sobre a actividade seguradora.

Segundo 80% dos inquiridos, estas três tecnologias estarão amplamente disseminadas e em utilização nos próximos 10 anos. Actualmente, a mais utilizada é a dos drones, tomando como referência o volume de produtos seguradores face às outras tecnologias, mas os navios autónomos têm um potencial de negócio significativo de crescimento no mercado segurador londrino. Um quarto dos inquiridos admitiu mesmo lançar produtos neste segmento de negócio.

O principal risco considerado nestas três tecnologias foi o de colisão, seguido pelos riscos de lesão corporal, morte, danos materiais e erros de sistema, respectivamente. O menor dos riscos considerados foi o de violação de direitos de autor ou propriedade industrial. Concluiu-se também que o risco colocado pelos navios autónomos é menor do que o colocado pelos drones e automóveis sem condutor, que foi a tecnologia mais sujeita a riscos entre as três analisadas.

fonte


 



Data: 2018-10-19

 Vídeo

Sobrevoando a Restinga e a cidade do Lobito (Angola)

 VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

 VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

 Mindelo e São Vicente com muita morabeza

 Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

 Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Francisca Chambal

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Robledo Gioia

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Sandra Augusto

 VI CONGRESSO DA APLOP - Abertura do Painel I - Lídia Sequeira

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Adriano Rosamonte

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Augusto Fernando Cabi

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Madalena Neves

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Fernando Nunes da Silva

 Congresso Intercalar Portos CPLP - Rio de Janeiro – Domingos Fortes (1)

 “EXPERIÊNCIA DO PORTO DE LEIXÕES NA FORMAÇÃO PORTUÁRIA”- Matos Fernandes (1)

 IV Encontro de Portos da CPLP – Menção Honrosa a Lima Torres

 IV Encontro de Portos da CPLP - Sessão de encerramento - Franklim Spencer

 “GEOPOLÍTICA DO MAR” - Carlos Manuel Mendes Dias (1)

 Novo Porto do Dande - Domingos Fortes (1)

 IV Encontro de Portos da CPLP - Franklin Spencer

 «Há muito potencial de crescimento nas relações comerciais Portugal/Brasil» (1)

 Porto de Luanda - 1955

 III Encontro de Portos da CPLP - Adalmir José de Sousa

 III Encontro de Portos da CPLP – Apresentação da Mesa de Honra

 III Encontro de Portos da CPLP - Estudo de mercado - (13) – Debate

 Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)

Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)