Início > Artigo > Empresas concorrentes às obras de requalificação do porto realizam visita exploratória



MAIO, CABO VERDE

Empresas concorrentes às obras de requalificação do porto realizam visita exploratória


Um total de 18 empresas, entre nacionais e estrangeiras, que concorrem à empreitada das obras de requalificação do porto do Maio, realizou uma visita exploratória “in loco” a essa infraestrutura, para se inteirar melhor da realidade.

Conforme apurou a Inforpress junto dos representantes do Ministério das Infraestruturas e da empresa Enapor, os participantes ao concurso vão ter que apresentar até meados do mês de novembro, as suas propostas que serão analisadas, sendo que o resultado sobre a empresa vencedora será divulgado dois meses depois.

De acordo com a mesma fonte, se tudo correr de forma como está previsto, as obras cujo orçamento ronda os 15 milhões de euros poderão iniciar ainda no decorrer do primeiro trimestre do ano de 2019 e terão a duração de 18 meses.

Do pacote da empreitada, constam a requalificação do ponto cais existente, construção de um quebra mar com uma dimensão de 150 metros de comprimento e 4 de largura, fazendo parte ainda do projeto a construção de duas rampas roll on roll off, sendo uma de metal e a outra de betão armado, bem como um murro/cortina lateral.

As obras em apreço vão comportar a requalificação do terrapleno do porto, bem como a sua extensão em mais 50 metros de largura e o reforço do muro da proteção das ondas do mar.

Consta ainda nesta empreitada, a construção de uma estrada de acesso à cidade do Porto Inglês.

Está enquadrado ainda neste projeto financiado pelo BAD, um montante de 1.5 milhões de euros destinado a atividades geradoras de rendimento, como a reabilitação da cooperativa de sal, casa dos pescadores e do centro de formação profissional, que também foram alvos de visita por parte dos representantes daquelas empresas.

Esta obra é considerada pelo BAD como sendo de categoria 1, por estar nas imediações das Salinas do Porto Inglês, uma área pertencente ao RAMASR e as áreas protegidas, pelo que se exige um elevado grau de cuidados com as espécies endémicas ali existentes, tanto aves como repteis.

Neste sentido a empresa vencedora vai ter que respeitar as regras já estipuladas no contrato entre o Governo e aquela instituição financeira.

Estiveram presentes na visita representantes das empresas cabo-verdianas, bem como de países como China, Itália, Espanha, Portugal, e Marrocos.

fonte


 



Data: 2018-10-06

 Vídeo

Porto de Lisboa – 6-7 Dezembro 2012

 “INTEGRAÇÃO DOS PORTOS DE TRANSHIPMENT NA AMÉRICA, ÁFRICA, EUROPA e ÁSIA” - Adalmir José de Sousa (4)

 VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

 VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

 Futuro Terminal de Cruzeiros do Rio de Janeiro

 Mindelo e São Vicente com muita morabeza

 Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

 Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

 Porto de Luanda - 1955

 Constituição da APLOP - 13.05.2011 - Primeiros momentos

 Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)

Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)