Início > Artigo > 60 novos terminais semi-automatizados até 2023



60 novos terminais semi-automatizados até 2023


Em entrevista ao World Maritime News, Daniel Schäfer, analista da consultora DS Research, revelou que no final de 2017 existiam 56 grandes terminais portuários semi-automatizados, com uma capacidade combinada para 105 milhões de TEU, o equivalente a 9% da capacidade global. Disse também que para o período 2018-2023, estão planeados mais 60 terminais semi-automatizados, com uma capacidade combinada de 90 milhões de TEU.

Relativamente aos 56 já existentes, referiu que a componente de automatização inclui predominantemente equipamento de estaleiros, designado Automated Stacking Cranes (ASCs). Tudo isto num contexto em que a automatização é já uma tendência na indústria marítima e em que os operadores portuários já detêm alguma experiência em equipamento automatizado na movimentação de contentores.

Schäfer referiu igualmente que segundo dados recolhidos pela DS Research relativamente a 580 projectos individualizados de automatização portuária, ou seja, fases de projecto, previstas para estarem concluídas a partir de 2018, 170 estão em construção, 220 estão numa fase prévia à construção e 190 ainda estão sujeitos a aprovação por entidades reguladoras (o que significam que só estarão concluídas nos próximos 5 a 6 anos).

Destes projectos a concluir nos próximos seis anos, a DS Research antecipa que dois terços vão concretizar-se, 21% não terão continuidade e 12% sofrerão atrasos. Os cancelamentos resultarão de dificuldades financeiras em parcerias público-privadas, enquanto os atrasos estarão mais relacionados com projectos de expansão de instalações já existentes em que os níveis de utilização não atingiram os necessários 70 a 80 por cento para se passar à fase seguinte, refere Schäfer.

Nos 580 projectos mencionados, refere o analista, cerca de 100 são de terminais multi-purpose, que incluem uma componente de movimentação de contentores. São projectos mais pequenos, que raramente excedem dimensão para mais de 500 mil TEU anuais. O analista considera que existe mais interesse no desenvolvimento de projectos multi-purpose do que em projectos de terminais de contentores.

fonte


 



Data: 2018-10-02

 Vídeo

Porto de Lisboa – 6-7 Dezembro 2012

 “INTEGRAÇÃO DOS PORTOS DE TRANSHIPMENT NA AMÉRICA, ÁFRICA, EUROPA e ÁSIA” - Adalmir José de Sousa (4)

 VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

 VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

 Futuro Terminal de Cruzeiros do Rio de Janeiro

 Mindelo e São Vicente com muita morabeza

 Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

 Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

 Porto de Luanda - 1955

 Constituição da APLOP - 13.05.2011 - Primeiros momentos

 Congresso Intercalar da APLOP - Rio de Janeiro - Março de 2012

Congresso Intercalar da APLOP - Rio de Janeiro - Março de 2012