Início > Artigo > Unicargas reduz resultados negativos em mais de 294%



ANGOLA

Unicargas reduz resultados negativos em mais de 294%


Embora ainda negativos, os resultados financeiros da Unicargas saíram de 1,1 bilião de kwanzas (AKz), em 2017, para AKz 278,6 milhões no primeiro semestre deste ano, representando uma redução substancial de 294 por cento.

 

A empresa pública de Transporte Rodoviário Operadora de Terminais e Transitária, com uma nova gestão desde Janeiro deste ano, decidiu implementar, após um período longo de resultados negativos, uma estratégia de redução dos custos e de aumento das receitas.

Só com o pessoal, a empresa reduziu, este ano, despesas num valor de mais de AKz 59 milhões no primeiro semestre deste ano, contra AKz 1,3 biliões do ano 2017. Porém, os custos totais dos primeiros seis meses de 2018 chegaram a 2,2 biliões de kwanzas.

A facturação da companhia no primeiro semestre de 2018 atingiu mais de AKz 2,2 biliões, decorrente das 129 mil e 480 toneladas de carga diversa operada no Terminal Polivalente do Porto Comercial de Luanda e das 184 mil e 465 toneladas de carga transportada por via terrestre.

Entre outros objectivos, a estratégia da Unicargas visa combater as tentativas de fraude na facturação, desvio de combustível, assegurar a manutenção preventiva da frota de camiões e equipamentos operacionais, formação dos trabalhadores e medidas para o aumento da produção e produtividade que estão envolvendo a empresa.

O Presidente do Conselho de Administração da empresa disse à Angop que, além da gestão do Terminal Polivalente, a prosperidade da empresa passa pelo aumento da sua actual frota de 140 camiões.

“A Unicargas tem 100 camiões avariados que carecem de recuperação, mas se a empresa conseguir um reforço da sua frota ajudaria muito no seu crescimento”, disse o interlocutor.

Acha que a instituição pela sua dimensão devia ter uma frota de 500 camiões e assim contribuiria bastante na redução do preço do produto final ao consumidor.“ É nossa pretensão e está no plano estratégico adquirir uma nova frota de camiões, numa primeira fase de 100.”

Dívidas da empresa

A Transportadora tem, até agora, uma dívida acumulada de mais de nove biliões de kwanzas, segundo Celso Rosas e resultaram do incumprimento de um contrato de gestão com o Porto de Luanda e da aquisição de peças para manutenção da sua frota de camiões

A empresa beneficiou-se também, ao longo dos últimos 10 anos, de diversos serviços de terceiros, entre os quais de segurança e manutenção, e de empréstimos para implementação de projectos de investimentos que não foram honrados e que a endividaram.

A dívida com a Empresa Portuária de Luanda pela exploração e gestão do Terminal Polivalente está acima dos sete biliões de kwanzas, 70 porcento do total da divida da Unicargas (AKz 9.974.699.915,24).

Destinos e perspectivas da Unicargas

Actualmente a empresa transporta mercadorias de clientes para diversos pontos de Angola. Tem uma representação no Luau (província do Moxico), Cabinda e Benguela e pretende chegar às províncias do Zaire e Cunene.

A maior perspectiva da Unicargas é operar em todo território nacional, mas segundo o presidente o alcance deste objectivo passa por um processo de reestruturação que está em curso.

Celso Rosas disse que quer ver um dia a empresa a estender suas actividades para além do território nacional. Isto é, transportando mercadorias angolanas como frutas, peixe, sal para países da região como os congos, Namíbia, África do Sul, Zâmbia e Zimbábwe.

A Unicargas é uma empresa do Estado e foi criada a 06 de Fevereiro de 1988. Emprega 732 trabalhadores e 32 avençados.

fonte
 


 



Data: 2018-09-04

 Vídeo

Porto de Lisboa – 6-7 Dezembro 2012

 “INTEGRAÇÃO DOS PORTOS DE TRANSHIPMENT NA AMÉRICA, ÁFRICA, EUROPA e ÁSIA” - Adalmir José de Sousa (4)

 VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

 VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

 Futuro Terminal de Cruzeiros do Rio de Janeiro

 Mindelo e São Vicente com muita morabeza

 Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

 Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

 Porto de Luanda - 1955

 Constituição da APLOP - 13.05.2011 - Primeiros momentos

 Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)

Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)