Início > Artigo > Receitas do Porto de Maputo quase que duplicam em seis meses



MOÇAMBIQUE

Receitas do Porto de Maputo quase que duplicam em seis meses


A concessionária do Porto de Maputo, MPDC, contribuiu com 7,3 % do total das receitas recebidas pelo governo de Moçambique durante os primeiros seis meses do ano de acordo com o relatório semestral da Direcção Nacional de Tesouro (DNT) citado pelo jornal O País.

A MPDC injectou nos cofres públicos no primeiro semestre de 2018 uma quantia de 102,1 milhões de meticais, contra perto de 53,3 milhões de meticais em igual período de 2017.

A MPDC ocupou a quarta posição do ranking das maiores concessionárias contribuintes do Estado, depois do Corredor de Desenvolvimento do Norte (CDN), Corredor Logístico Integrado de Nacala (CLIN) e Hidroeléctrica de Cahora Bassa (HCB).

Em conjunto, todas concessões contribuíram com o valor de 1,3 mil milhões de medicais para a receita cobrada pela tesouraria ao longo dos primeiros seis meses de 2018, quase o dobro do montante cobrado no período homólogo de 2017.

MPDC é uma empresa privada, nacional, que resulta da parceria entre os Caminhos-de-Ferro de Moçambique e a Portus Indico, constituída pela Grindrod, DP World e a empresa Mozambique Gestores.

A 15 de Abril de 2003, foi atribuída à MPDC a concessão do Porto de Maputo por um período de 15 anos, com uma opção de extensão por mais 15 anos. Em Junho de 2010 o período de concessão foi estendido por mais 15 anos, com opção de mais 10 para operações após 2033.

Esta concessionária detém os direitos de financiamento, reabilitação, construção, operação, gestão, manutenção, desenvolvimento e optimização de toda a área de concessão do Porto de Maputo.

A empresa tem também poder de autoridade portuária, sendo responsável pelas operações marítimas, reboque, estiva, operações nos terminais e armazéns, bem como planeamento e desenvolvimento portuário.

A MPDC está investir certa de US$ 64 milhões para a reabilitação de três cais que irão permitir um aumento de movimento de cargas de cerca de dois milhões de carga por ano.

A conclusão destas obras está prevista para o início de 2019.(Macauhub)
 


 



Data: 2018-09-04

 Vídeo

Porto de Lisboa – 6-7 Dezembro 2012

 “INTEGRAÇÃO DOS PORTOS DE TRANSHIPMENT NA AMÉRICA, ÁFRICA, EUROPA e ÁSIA” - Adalmir José de Sousa (4)

 VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

 VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

 Futuro Terminal de Cruzeiros do Rio de Janeiro

 Mindelo e São Vicente com muita morabeza

 Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

 Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

 Porto de Luanda - 1955

 Constituição da APLOP - 13.05.2011 - Primeiros momentos

 Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)

Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)