Início > Artigo > Internet das Coisas para Logística em debate



SÃO PAULO, BRASIL

Internet das Coisas para Logística em debate


A Noruega cada vez mais investe no Brasil e a Tecnologia é uma das áreas de interesse. Há três anos, a agência do governo norueguês para fomentar a inovação e desenvolvimento de indústrias norueguesas pelo mundo, a Innovation Norway, promoverá este ano, dentro da São Paulo Tech Week, o Norway Tech Day para promover a troca de experiências, cooperação e negócios entre os dois países.

"Este ano, o tema será Internet das Coisas Industrial (IIoT) nas áreas de produção e logística, além de termos um painel ressaltando a importância e o crescimento do número de mulheres no setor de tecnologia. Também temos o objetivo de promover soluções norueguesas que possam dar o suporte a este novo cenário", explica o gerente de projetos da Innovation Norway para América do Sul, Bruno Leiniö. O evento conectará atores relevantes do mercado e contará com a participação de indústrias brasileiras e norueguesas, pesquisadores e atores governamentais.

A Noruega e o Brasil desenvolvem diversas outras ações em conjunto na área de inovação, como por exemplo a "November Conference" que reúne pesquisadores e instituições brasileiras e norueguesas, o acordo entre Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), Innovation Norway e o Conselho de Pesquisa da Noruega para chamadas conjuntas, além de projetos de cooperação entre Universidades dos dois países.

De olho no Brasil - A Innovation Norway está constantemente seguindo a evolução do setor e em contato com os atores relevantes do setor. "Embora existam alguns gargalos no mercado brasileiro, detectamos que as empresas brasileiras estão ansiosas para adotar a tecnologia nos próximos anos, em uma pesquisa recente 51% das organizações dizem estar interessadas na área e têm planos para desenvolver projetos em IoT", informa Leiniö.

Além disso, o governo e outros atores brasileiros enxergam grande potencial em Tecnologias IoT e anunciaram um conjunto de estratégias para incentivar a sua adoção na indústria nacional. Em paralelo as empresas norueguesas possuem grande interesse no Brasil e geram no país mais de meio milhão de empregos diretos, indiretos e induzidos. Setores de petróleo, gás e marítimo ainda são o maior destino dos investimentos noruegueses, mas um segmento que está despontando é o de tecnologia. Leiniö acrescenta que que o setor de tecnologias IoT no Brasil têm mostrado um crescimento contínuo nos últimos anos, US$ 1,35 bilhão em 2016, com o setor automotivo e manufaturas sendo os mais relevantes.

A Norway Tech Day será a oportunidade de conectar importantes atores brasileiros e noruegueses que já possuem IIoT como uma estratégia corporativa, desenvolvedores de soluções em IIoT, empresas que pretendem adotar a tecnologia, e outros atores interessados no tema.

FONTE


 



Data: 2018-09-04

 Vídeo

Porto de Lisboa – 6-7 Dezembro 2012

 “INTEGRAÇÃO DOS PORTOS DE TRANSHIPMENT NA AMÉRICA, ÁFRICA, EUROPA e ÁSIA” - Adalmir José de Sousa (4)

 VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

 VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

 Futuro Terminal de Cruzeiros do Rio de Janeiro

 Mindelo e São Vicente com muita morabeza

 Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

 Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

 Porto de Luanda - 1955

 Constituição da APLOP - 13.05.2011 - Primeiros momentos

 Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)

Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)