Início > Artigo > Adesão de Angola à Commonwealth dá os primeiros passos em Setembro



Adesão de Angola à Commonwealth dá os primeiros passos em Setembro


O governo do Reino Unido pretende iniciar o processo de adesão de Angola à Commonwealth já em Setembro, durante a visita a Luanda de Lindsay Northover (na foto), enviada especial da primeira-ministra Theresa May para o comércio.

“Acolho com muita satisfação o interesse de Angola em aderir à Commonwealth e espero que o assunto seja um tópico de conversação relevante durante a minha próxima visita, em Setembro”, lê-se num artigo de opinião de Lindsay Northover publicado no Jornal de Angola.

Em Junho passado, o então ministro dos Negócios Estrangeiros do Reino Unido, Boris Johnson, anunciou na sua conta de Twitter que Angola ia solicitar a adesão à Commonwealth.

Na entrevista concedida a 1 de Junho ao canal Euronews, João Lourenço afirmou “não se admirem que estejamos a pensar em pedir a adesão à francofonia e daqui a uns dias estejamos também a pedir adesão à Commonwealth, atendendo ao facto de que “Angola está cercada não por países lusófonos, mas sim por países francófonos e anglófonos.”

No artigo, a baronesa Northover recorda que a Commonwealth é uma “associação voluntária de 53 estados soberanos, independentes e iguais”, com 2400 milhões de pessoas “e que inclui tanto economias desenvolvidas como países em desenvolvimento.”

A enviada especial de Theresa May salientou que a Agência do Reino Unido para o Financiamento de Exportações (UKEF) tem actualmente uma disponibilidade de até 750 milhões de libras esterlinas para apoiar projectos em Angola. (Macauhub)


O governo do Reino Unido pretende iniciar o processo de adesão de Angola à Commonwealth em Setembro próximo, durante a visita a Luanda de Lindsay Northover, enviada especial da primeira-ministra Theresa May para o comércio.

“Acolho com muita satisfação o interesse de Angola em aderir à Commonwealth e espero que o assunto seja um tópico de conversação relevante durante a minha próxima visita, em Setembro”, lê-se num artigo de opinião de Lindsay Northover publicado no Jornal de Angola.

Em Junho passado, o então ministro dos Negócios Estrangeiros do Reino Unido, Boris Johnson, anunciou na sua conta de Twitter que Angola ia solicitar a adesão à Commonwealth.

Na entrevista concedida a 1 de Junho ao canal Euronews, João Lourenço afirmou “não se admirem que estejamos a pensar em pedir a adesão à francofonia e daqui a uns dias estejamos também a pedir adesão à Commonwealth, atendendo ao facto de que “Angola está cercada não por países lusófonos, mas sim por países francófonos e anglófonos.”

No artigo, a baronesa Northover recorda que a Commonwealth é uma “associação voluntária de 53 estados soberanos, independentes e iguais”, com 2400 milhões de pessoas “e que inclui tanto economias desenvolvidas como países em desenvolvimento.”

A enviada especial de Theresa May salientou que a Agência do Reino Unido para o Financiamento de Exportações (UKEF) tem actualmente uma disponibilidade de até 750 milhões de libras esterlinas para apoiar projectos em Angola. (Macauhub)


O governo do Reino Unido pretende iniciar o processo de adesão de Angola à Commonwealth em Setembro próximo, durante a visita a Luanda de Lindsay Northover, enviada especial da primeira-ministra Theresa May para o comércio.

“Acolho com muita satisfação o interesse de Angola em aderir à Commonwealth e espero que o assunto seja um tópico de conversação relevante durante a minha próxima visita, em Setembro”, lê-se num artigo de opinião de Lindsay Northover publicado no Jornal de Angola.

Em Junho passado, o então ministro dos Negócios Estrangeiros do Reino Unido, Boris Johnson, anunciou na sua conta de Twitter que Angola ia solicitar a adesão à Commonwealth.

Na entrevista concedida a 1 de Junho ao canal Euronews, João Lourenço afirmou “não se admirem que estejamos a pensar em pedir a adesão à francofonia e daqui a uns dias estejamos também a pedir adesão à Commonwealth, atendendo ao facto de que “Angola está cercada não por países lusófonos, mas sim por países francófonos e anglófonos.”

No artigo, a baronesa Northover recorda que a Commonwealth é uma “associação voluntária de 53 estados soberanos, independentes e iguais”, com 2400 milhões de pessoas “e que inclui tanto economias desenvolvidas como países em desenvolvimento.”

A enviada especial de Theresa May salientou que a Agência do Reino Unido para o Financiamento de Exportações (UKEF) tem actualmente uma disponibilidade de até 750 milhões de libras esterlinas para apoiar projectos em Angola. (Macauhub)
 


 



Data: 2018-07-22

 Vídeo

Porto de Lisboa – 6-7 Dezembro 2012

 “INTEGRAÇÃO DOS PORTOS DE TRANSHIPMENT NA AMÉRICA, ÁFRICA, EUROPA e ÁSIA” - Adalmir José de Sousa (4)

 VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

 VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

 Futuro Terminal de Cruzeiros do Rio de Janeiro

 Mindelo e São Vicente com muita morabeza

 Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

 Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

 Porto de Luanda - 1955

 Constituição da APLOP - 13.05.2011 - Primeiros momentos

 Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)

Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)