Início > Artigo > Ministra das Pescas inaugura três pescarias na Caota



ANGOLA

Ministra das Pescas inaugura três pescarias na Caota


A Ministra das Pescas e do Mar, Victória de Barros, inaugurou, na localidade da Caota, província de Benguela, três novas pescarias, que vão proporcionar 800 novos postos de trabalho.

Trata-se da pescaria Famihau, Lda, a primeira inaugurada, com capacidade de produção de 80 toneladas/ dia, cujo complexo está apetrechado com quatro câmaras de congelação, com capacidade de 20 toneladas cada, 20 câmaras de conservação e de duas mil toneladas cada, e duas fábricas de gelo que vão produzir 10 toneladas/dia.

Integra a referida unidade, uma ponte cais e outras facilidades de infraestruturadas de apoio, empregando 80 trabalhadores nacionais e três expatriados.

Seguiu-se a inauguração da Pescaria Fuhaui-Atlântico Lda, um investimentos na ordem de 12 milhões de USD. Tem uma produção mensal de mil e 500 toneladas de pescado/dia.

Conta com tanques de congelação de 20 toneladas cada e uma câmara de conservação de duas mil toneladas. Conta com 139 trabalhadores, dos quais 53 são mulheres.

A terceira inaugurada foi a Pescaria “Guanda Pesca”, considerada como a maior na província de Benguela, ocupa uma área de 73 mil metros quadros e está apta para exercer a pesca Industrial, a congelação de pescado com capacidade instalada de produção de 600 ton/ mês.

A unidade criou já mais de 400 postos de trabalho e com perspectiva de serem criados outros 600 postos directos e três mil indirectos.

A Guanda Pesca, Lda tem instaladas linhas de processamento com sistema de água refrigeração, oito túneis de congelação com capacidade de 240 toneladas cada, duas câmaras de conservação de 5 mil toneladas e duas câmaras de produção de gelo com capacidade para 30 toneladas/ dia.

Futuramente a empresa prevê a instalação de equipamentos para secagem mecânica de peixe e de um novo estaleiro para a manutenção de embarcações, fazendo ainda parte desta estrutura uma ponte cais.

Na ocasião, a ministra defendeu o surgimentos de parcerias fortes, com os operadores privados, visando assegurar o desenvolvimento, modernização da indústria do processamento do pescado.

Victória de Barros afirmou que o surgimento destas parcerias poderá ainda contribuir na melhoria da produção e nas condições higiene sanitárias, para que se possa reduzir as perdas no período pós-capturas.

Segundo a ministra, a implementação destes empreendimentos enquadram-se na política e prioridades do Executivo para o desenvolvimento do sector das Pescas e Mar tendentes a implementação de infra-estruturas em terra que vão permitir a captura para descarga e processamento do pescado em condições adequadas, salvaguardando a colocação no mercado de produtos pescas de boa qualidade que garanta a saúde ao consumidor e o aumento de oportunidades de emprego, principalmente para a juventude e mulheres.

Convidou os empresários a trabalharem em colaboração com as entidades do sector, nomeadamente, a direcção de infra-estruturas e indústrias e com o Instituto Nacional de Apoio à Indústria Pesqueira para orientação, assistência técnica e introdução no Sistemas de auto controlo e de rentabilidade.

“Devemos focar e trabalhar pensando não no abastecimento do mercado local e também no Regional e Internacional, sobretudo para os países vizinhos, apontados como potenciais consumidores de peixe congelado, como também poderão absorver as conservas”, sublinhou.

A responsável alertou a classe empresarial para necessidade de uma particular atenção à produção de conservas nesta circunscrição, tendo em conta as condições e incentivou a aproveitar esse “nicho de negócio".

Por seu lado, o governador provincial, Rui Falcão, afirmou que Benguela ganhou mais três unidades da indústria de pesca que vão contribuir para o desenvolvimento da economia local e do país, fazendo crescer a localidade piscatória da Caota.

Salientou que estas unidades garantem mais de 800 empregos, tendo apontando o caminho para tal, trabalhar de forma séria e responsável, fazendo com que todos os actores respeitem as regras cada um a seu nível.

fonte
 


 



Data: 2018-07-09

 Vídeo

Porto de Lisboa – 6-7 Dezembro 2012

 “INTEGRAÇÃO DOS PORTOS DE TRANSHIPMENT NA AMÉRICA, ÁFRICA, EUROPA e ÁSIA” - Adalmir José de Sousa (4)

 VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

 VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

 Futuro Terminal de Cruzeiros do Rio de Janeiro

 Mindelo e São Vicente com muita morabeza

 Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

 Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

 Porto de Luanda - 1955

 Constituição da APLOP - 13.05.2011 - Primeiros momentos

 Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)

Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)