Início > Artigo > Maersk testa nova tecnologia de percepção situacional a bordo de navios



Maersk testa nova tecnologia de percepção situacional a bordo de navios


A Maersk e a Sea Machines Robotics, uma empresa norte-americana de robótica marítima, juntaram-se para realizar ensaios a um equipamento baseado em inteligência artificial que aumenta a capacidade de percepção situacional das tripulações a bordo dos navios, reforçando a segurança e viabilidade das operações.

De acordo com vários meios de comunicação internacionais, que referem o caso, este equipamento, baptizado Light Detection and Ranging (LiDAR), foi instalado a bordo de uma nova classe de porta-contentores e consiste num sistema avançado de apoio à navegação que permite visualizar melhor o ambiente envolvente do navio.

O sistema recorre a uma visão computorizada, ao LiDAR e a software de percepção situacional, através de sensores avançados que recolhem continuamente informação sobre o ambiente envolvente ao navio, identificando e monitorizando potenciais riscos e fornecendo esses dados ao comando de pilotagem.

Esta é a primeira vez que um sistema deste tipo é utilizado para melhorar a percepção situacional a bordo de um porta-contentor no mar. Se a solução resultar, contribuirá para remover as restrições à linha de visão da ponte de comando dos navios e assim fornecer uma infra-estrutura importante para um futuro sistema autónomo anti-colisão.

Segundo P. Michael A. Rodey, gestor de inovação da A.P. Moller-Maersk, “com este programa de visualização situacional para porta-contentores, queremos provar que a tecnologia aumenta a nossa segurança, eficiência e fiabilidade; os navios autónomos não são um objectivo final da Maersk, nem os navios não tripulados; o que nos interessa é a tecnologia que vamos obtendo ao longo do processo e o valor que ela representa”.

Todavia, responsáveis da Sea Machines Robotics consideram que esta tecnologia é uma evolução na navegação autónoma de navios comerciais e fornece o que entendem ser o primeiro sistema de controlo de classe industrial do mundo capaz de permitir um controlo autónomo e remoto para navios e embarcações.

A versão mais recente permite a navegação autónoma de um navio em diversas situações, com um indivíduo próximo, para o caso de se optar por atribuir o comando a ser humano. Inicialmente, está vocacionado para pesquisa, resposta a derrames, dragagens e aplicações de segurança e vigilância.

Os meios de comunicação acrescentam que a nova classe de navios da Maersk que receberá este sistema é a Winter Palace, para navegação no gelo. A empresa encomendou recentemente sete unidades feeder com capacidade para 3.500 TEU para serviço no Mar Báltico, sob a marca Seago Lind. O primeiro entrou ao serviço no princípio deste mês.

fonte


 



Data: 2018-06-04

 Vídeo

Porto de Lisboa – 6-7 Dezembro 2012

 “INTEGRAÇÃO DOS PORTOS DE TRANSHIPMENT NA AMÉRICA, ÁFRICA, EUROPA e ÁSIA” - Adalmir José de Sousa (4)

 VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

 VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

 Futuro Terminal de Cruzeiros do Rio de Janeiro

 Mindelo e São Vicente com muita morabeza

 Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

 Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

 Porto de Luanda - 1955

 Constituição da APLOP - 13.05.2011 - Primeiros momentos

 Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)

Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)