Início > Artigo > Portos públicos da Bahia registam o melhor resultado operacional da história



BRASIL

Portos públicos da Bahia registam o melhor resultado operacional da história



Os portos de Salvador, Aratu-Candeias e Ilhéus, administrados pela Companhia das Docas da Bahia (Codeba), fecharam o exercício de 2017 com o melhor resultado operacional da história. Foram 11,9 milhões de toneladas movimentadas, o que representa um crescimento de 7,3% em relação ao ano anterior, representando índice superior à média nacional dos portos públicos do país.

O incremento de 805 mil toneladas no ano contou com algumas cargas pioneiras, como a importação de óleo diesel. O Porto de Aratu-Candeias, isoladamente, registrou também um novo recorde anual na movimentação de carga, por toneladas, de 7,1 milhões. O desempenho do Porto de Salvador alcançou 4,5 milhões de toneladas de cargas movimentadas em 2017, além de 310 mil TEUs (equivale à unidade de um contêiner de 20 pés). O Porto de Ilhéus apresentou incremento de 15%, quando comparado ao ano anterior, registrando 255 mil/ton. Contribuíram para este resultado as movimentações da amêndoa do cacau e minério de Magnesita.

Incluída a movimentação de carga, o recorde da Codeba no ano passado englobou as receitas oriundas da exploração dos serviços portuários, que também superaram todos os resultados dos anos anteriores. Cabe ressaltar que não foram aplicados reajustes nos valores da tarifa pelos serviços colocados à disposição dos usuários dos portos.

Os saldos alcançados pelos portos públicos baianos contribuíram ainda para a manutenção do melhor patamar entre os terminais portuários localizados nas regiões Norte e Nordeste, no que se refere ao desempenho da balança comercial e corrente de comércio, somando U$15,3 bilhões.

Estimativas para 2018

A Codeba inicia o ano com planos de se adaptar, de forma plena, à Lei 13.303/2016, que institui normas relacionadas a boa governança, gestão de risco, transparência e controles interno; investimentos na manutenção da infraestrutura, e de novas obras, além da finalização e aprovação do Programa de Desenvolvimento e Zoneamento (PDZ) nos três portos. Com este programa, será possível definir com maior exatidão as estratégias a serem adotadas pela Companhia, como aquelas relativas a arrendamento de áreas disponíveis e que estão desativadas ou em litígio e do interesse dos usuários dos portos organizados.

Em exercício desde o último dia 12, o novo diretor-presidente da Codeba, Rondon Brandão do Vale, frisou a importância de intensificar ações que favoreçam ainda mais os portos públicos do Estado. “Em busca de melhores resultados, com um espírito de equipe, iremos pautar o trabalho em garantir maiores investimentos, melhor eficiência administrativa, comercial e operacional e gestão humana”, completou.

Fonte: Ascom - Codeba
 


 



Data: 2018-01-20

 Vídeo

Porto de Lisboa – 6-7 Dezembro 2012

 “INTEGRAÇÃO DOS PORTOS DE TRANSHIPMENT NA AMÉRICA, ÁFRICA, EUROPA e ÁSIA” - Adalmir José de Sousa (4)

 VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

 VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

 Futuro Terminal de Cruzeiros do Rio de Janeiro

 Mindelo e São Vicente com muita morabeza

 Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

 Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

 Porto de Luanda - 1955

 Constituição da APLOP - 13.05.2011 - Primeiros momentos

 Constituição da APLOP

Constituição da APLOP

Foto de família