Início > Artigo > Pescas criam cooperativas para antigos combatentes



ANGOLA

Pescas criam cooperativas para antigos combatentes


O Ministério das Pescas está empenhado na procura de soluções para inserção do antigos combatentes e veteranos da pátria em actividades produtivas que visam o aumento da sua renda e o sustento das suas famílias, afirmou a titular da pasta, Victória de Barros Neto (na foto).

 

A governante falava na cerimónia de assinatura de um acordo de cooperação entre o seu pelouro e o Ministério dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria visando o enquadramento dos antigos combatentes e veteranos da pátria em projectos de constituição de cooperativas para o fomento da pesca continental.

Salientou que o enquadramento dos antigos combatentes em actividades sócio-produtivas do país tem merecido uma atenção especial, constituindo deste modo um gesto de solidariedade e reconhecimento para quem se destacou na defesa da integridade da pátria.

Por esta razão, disse que o Ministério elegeu os segmentos da pesca artesanal e da aquicultura, por estarem perfeitamente alinhados e familiarizados com os objectivos que se pretende atingir com o acordo rubricado com o sector que se encarrega pelas políticas do Executivo em relação aos antigos combatentes.

Destacou o desenvolvimento de projectos no domínio das pesca artesanal e da aquicultura comunal os quais cumprem com os objectivos estratégicos do Executivo, no âmbito do Plano Nacional de Desenvolvimento ( 2013-2017).

Informou que em 2015 foi feito o lançamento do Programa de Fomento da Aquicultura na província do Bengo, que visa promover uma aquicultura competitiva, económica e social, bem como reduzir a pobreza nas comunidades rurais.

Para Victória de Barros Neto, esta iniciativa é materializada através do aumento da produção de pescado, a criação de novas oportunidades de emprego e aumento da renda familiar, com a implementação de projectos piloto devidamente elaborados.

Além de ex-militares e antigos combatentes, o programa, de acordo com a ministra, está a beneficiar também jovens, mulheres, pescadores artesanais e aquicultores.

No mesmo âmbito, estão a ser desenvolvidos projectos de piscicultura em tanques escavados e sistemas de gaiolas, nas províncias do Bengo, Cuanza Norte, Cuanza Sul, Zaire, Benguela e Malange.

Disse esperar que o acordo quadro de cooperação institucional entre o Ministério das Pescas e o Ministério dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria crie condições propícias para estreitar mais a cooperação existente entre ambos os departamentos ministeriais.

fonte
 


VEJA UMA PLAYLIST COM DEZENAS DE VÍDEOS DO LOBITO, CATUMBELA E BENGUELA, CLICANDO NA IMAGEM

Lobito 2013 NO FACEBOOK - CENTENAS DE FOTOS E VÍDEOS



Data: 2017-05-29

 Vídeo

Porto de Lisboa – 6-7 Dezembro 2012

 “INTEGRAÇÃO DOS PORTOS DE TRANSHIPMENT NA AMÉRICA, ÁFRICA, EUROPA e ÁSIA” - Adalmir José de Sousa (4)

 VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

 VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

 Futuro Terminal de Cruzeiros do Rio de Janeiro

 Mindelo e São Vicente com muita morabeza

 Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

 Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

 Porto de Luanda - 1955

 Constituição da APLOP - 13.05.2011 - Primeiros momentos

 Constituição da APLOP

Constituição da APLOP

Foto de família