Início > Artigo > Cabo Verde tem muitas vantagens em apostar na economia do mar



ANTÓNIO MENDONÇA:

Cabo Verde tem muitas vantagens em apostar na economia do mar


Cabo Verde tem "muitas vantagens e poucas desvantagens" na aposta de ligação à economia do mar, pelo que tem de trabalhar junto de organizações internacionais, sobretudo dentro da CPLP, para poder ter sucesso, disse hoje, na Cidade da Praia, o ex-ministro português, António Mendonça.

 

O antigo ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações de Portugal, e docente universitário, falava no seminário "Transporte Marítimo: Tendências e Desafios", promovido pelo Ministério das Infraestruturas e Economia Marítima, com a participação de vários especialistas portugueses.

Para o também vice-presidente da Ordem dos Economistas de Portugal (OEP), Cabo Verde tem uma economia "controlada", é uma democracia, tem "unidade, consciência e credibilidade nacional e internacional, um povo "instruído", uma diáspora e ligações à Europa, via Euro, e sobretudo à Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

As desvantagens, "ultrapassáveis", sublinhou António Mendonça, passam pelas faltas de "escala", em termos económicos, e de recursos naturais, é um arquipélago, com a insularidade inerente, e acessibilidades internas e internacionais "limitadas".

No entender de António Mendonça, a localização estratégica de Cabo Verde no meio do oceano Atlântico permite-lhe estar num "triângulo de oportunidades" - América, África e Europa -, factor que, na área do transporte marítimo e dos combustíveis, pode ser potenciado com uma aposta maior na CPLP e na Europa.

António Mendonça sublinhou que o caminho a percorrer por Cabo Verde terá de ter em conta que a descontinuidade geográfica dos Estados membros da CPLP permite também que a organização lusófona esteja presente nas principais rotas marítimas do comércio internacional.

Consolidado esse "mercado", sustentou, António Mendonça foi mais longe, ao defender uma aproximação lusófona aos países de língua castelhana que, juntos, perfazem já um mercado global de 800 a 900 milhões de pessoas.

"Aproximando a CPLP, consolidando a CPLP, porque não alargar as relações aos países hispânicos?", questionou o antigo governante português, salientando que, desta forma, seria possível inserir a comunidade lusófona, e os seus nove Estados membros, na economia global.

Na mesma linha de ideia, o presidente da ENDESA, Nuno Ribeiro da Silva, também presente no seminário, defendeu que as rotas marítimas do comércio internacional, sobretudo na dos hidrocarbonetos, podem constituir um "recurso natural" para Cabo Verde.

"Seis das 10 grandes jazidas petrolíferas descobertas nos últimos anos ocorreram em países lusófonos (Moçambique, Angola, Moçambique e Guiné Equatorial), pelo que Cabo Verde deve 'mergulhar' no mercado da CPLP, aproveitando as organizações sub-regionais africanas (CEDEAO, CEEAC ou SADC) e sul-americanas (Mercosul).

fonte


VEJA UMA PLAYLIST COM DEZENAS DE VÍDEOS DO LOBITO, CATUMBELA E BENGUELA, CLICANDO NA IMAGEM

Lobito 2013 NO FACEBOOK - CENTENAS DE FOTOS E VÍDEOS



Data: 2015-07-12

 Vídeo

Porto de Lisboa – 6-7 Dezembro 2012

 “INTEGRAÇÃO DOS PORTOS DE TRANSHIPMENT NA AMÉRICA, ÁFRICA, EUROPA e ÁSIA” - Adalmir José de Sousa (4)

 VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

 VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

 Futuro Terminal de Cruzeiros do Rio de Janeiro

 Mindelo e São Vicente com muita morabeza

 Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

 Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Sandra Augusto

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

 Porto de Luanda - 1955

 Constituição da APLOP - 13.05.2011 - Primeiros momentos

 Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)

Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)