Início > Pescas

ANGOLA

Cuanza Sul: Mulheres processadoras de peixe recebem crédito

Porto Amboim- 25 mulheres que se dedicam à actividade de processamento de pescado dos municípios de Sumbe e Porto Amboim, na província do Cuanza Sul, receberam micro-crédito para potenciarem as suas actividades e maximizarem a produção do pescado.

ANGOLA

Formação sobre pesca artesanal na Huíla

A direcção provincial da Agricultura, Desenvolvimento Rural, Pescas e Ambiente da Huíla vai desenvolver, ainda este ano,acções de capacitação sobre pesca artesanal, para um melhor controlo, fiscalização e comercialização do pescado no mercado.

A informação foi avançada à Angop, no Lubango, pelo director provincial do sector do sector, Lutero Campos, apesar de não revelar o número de associações e núcleos a beneficiar desta acção.

FAO alerta para vírus que dizima os cardumes de tilápia

Uma doença altamente contagiosa está a espalhar-se entre as tilápias, uma das espécies de peixes mais consumidas do mundo. O alerta é da agência da ONU para Agricultura e Alimentação (FAO).

ANGOLA

Governo e FIDA implementam projecto pesqueiro

O Governo angolano, com ajuda do Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola (FIDA), vai implementar, a partir deste ano, um projecto de pesca marítima e aquicultura comunitária, nas províncias de Luanda, Cuanza Norte e Malanje. O projecto vai abranger 15 mil famílias e permitir aos pescadores a aprendizagem de técnicas de manipulação do pescado, cultivo de peixe, sobretudo, da aquicultura nestas províncias.

Banco da Coreia do Sul apoia distribuição de pescado em Angola

O Banco de Exportações e Importações da Coreia do Sul concedeu um empréstimo de 49 milhões de dólares a Angola para a recuperação das instalações da empresa de processamento de pescado Edipesca, situadas na Boavista, em Luanda, ao abrigo de um acordo quarta-feira assinado na capital angolana.

Pesca ilegal tira dos mares 26 milhões de toneladas de peixe por ano

O mercado pesqueiro movimenta por ano, em todo o mundo, US$ 140 bilhões de dólares em exportações. Mas a FAO alerta: 26 milhões de toneladas adicionais de peixes são retiradas do mar de forma ilegal.

CABO VERDE

Câmara de Comércio do Barlavento prepara missão empresarial a feira náutico-pesqueira em Espanha

A Câmara de Comércio do Barlavento (CCB) abriu inscrições a operadores e profissionais ligados à economia do mar para integrarem uma missão empresarial à XVII edição da Feira Monográfica Náutico-Pesqueira, em Lugo (Espanha), prevista para o mês de Maio.

Banco Mundial defende diminuição do esforço de pesca global no curto prazo

Pescar menos, mas com mais qualidade, pode gerar, em média, benefícios para o sector das pescas estimados em 75,5 mil milhões de euros, revela o estudo The Sunken Billions Revisited – Progresses and Challenges in Global Marine Fisheries, do Banco Mundial (BM), datado deste ano, com base em dados de 2012.

O argumento utilizado pelo BM é o de que a redução da pesca permite a recuperação dos stocks de pescado sujeitos ao fenómeno da sobre pesca. Desta forma, os peixes ganham peso e, consequentemente, valor comercial, podendo gerar lucros entre 2,8 mil milhões e 81,3 mil milhões de euros.

BANCO MUNDIAL

Pescar menos e com mais qualidade pode gerar benefícios de 83 mil milhões de dólares

Um estudo do Banco Mundial revela que pescar menos, mas com mais qualidade, pode gerar benefícios médios de 83 mil milhões de dólares por ano para o sector pesqueiro. O dinheiro é essencial para países em desenvolvimento e para melhorar a segurança alimentar global. Segundo o órgão, reduzir a pesca no mundo permite que os stocks de peixes se recuperem da super-exploração.

CABO VERDE

Condições de descarga de pescado em S.Vicente

O PCA da ENAPOR reuniu-se com os representantes das entidades públicas relacionadas com a regulação e fiscalização marítima, controle fito sanitária e saúde pública com vista a melhor organizar as condições de descarga de pescado em S.Vicente.

ANGOLA

Sistema electrónico garante segurança à pesca artesanal

Um sistema electrónico para mil embarcações, que visa a protecção de mais de seis mil pescadores e de monitorização das embarcações artesanais, entra em funcionamento a partir de Janeiro de 2017, anunciou o director do gabinete técnico de informação do Ministério das Pescas, João Silva. Em declarações à imprensa, João Silva disse que esta medida vai garantir segurança aos pescadores artesanais e em caso de perigo serem facilmente localizados e socorridos de imediato.

Moçambique perde 57 milhões de dólares por ano com pesca ilegal

Moçambique perde anualmente o equivalente a 57 milhões de dólares devido à pesca ilegal e outras práticas nocivas, devido à inexistência de uma fiscalização marítima efectiva ao longo dos cerca de 2800 quilómetros de linha de costa, afirmou o director de Operações do Ministério do Mar, Águas Interiores e Pescas.
Leonid Chimarizene disse ainda ao semanário Domingo que Moçambique difere da maior parte dos países costeiros pois permite a atracação dos navios em qualquer porto, “o que significa que temos de ter fiscais ao longo de toda a costa.”

Pesca ilegal em Moçambique causa prejuízo anual de 67 milhões de dólares

Moçambique perde anualmente uma média de 67 milhões de dólares devido à pesca ilegal, situação que leva o Ministério do Mar, Águas Interiores e Pescas a redobrar esforços na promoção de estratégias de fiscalização integrada dos recursos naturais, sobretudo dos ecossistemas marinhos, informa a agência estatal AIM.

ICCAT estabelece máximos de capturas para o tubarão azul

Durante o encontro anual da Comissão Internacional para a Conservação dos Tunídeos do Atlântico (ICCAT), em Vilamoura, foram estabelecidos valores máximos de referência para as capturas de tubarão azul no Atlântico Norte, embora tenham falhado as tentativas de fazer o mesmo no Atlântico Sul, informa um comunicado conjunto das organizações não-governamentais (ONG) Shark Trust, Shark Advocates International, Project Aware e Ecology Action Centre.

ANGOLA

Armadores do país querem federação

Armadores filiados nas associações de pesca das províncias de Luanda, Cuanza Sul, Benguela e Namibe reuniram-se no município da Baía Farta, em Benguela, para preparar a criação da futura Liga Nacional de Pescas. O Presidente da Associação Provincial de Pescas de Benguela, Arnaldo Vasconcelos, disse que a liga deve defender os interesses dos associados junto das instituições públicas, tendo em atenção os problemas que se reflectem na actividade pesqueira

Inovar para ajudar os peixes a sobreviver ao inverno

Um problema conhecido há vários anos, que resulta em perdas para os aquacultores que se dedicam à produção de dourada, encontrou a resposta na Sorgal, uma das áreas de negócio da Soja de Portugal, e o projeto inovador é um dos finalistas do Prémio NOS deste ano.
“Desenvolvimento de uma solução profilática para a doença de inverno em dourada” é a designação do projeto selecionado pelo júri, nas Grandes Empresas.

SECTOR PESQUEIRO INCLUÍDO

Noruega quer aumentar investimento em Moçambique

O Ministro dos Negócios Estrangeiros da Noruega, Børge Brende, anunciou em Maputo a intenção do seu país de aumentar o investimento em Moçambique, destacando o sector da energia como uma prioridade, de acordo com a imprensa moçambicana.
À margem do Fórum Empresarial da Noruega, o ministro disse ainda que além da energia há também interesse em aprofundar a cooperação no sector pesqueiro, que qualificou de “forte catalisador das economias dos países com acesso directo ao mar.”

CABO VERDE

Governo baixa taxas de importação dos produtos de pesca

O Governo, através do Conselho de Ministros, decidiu baixar as taxas de inspecção dos produtos de pesca. O Executivo diz que a medida visa melhorar a competitividade do sector das pescas no país, tendo em conta o peso que este tem nas exportações.

“Após uma análise da situação interna e externa do sector, e tendo em conta a importância da pesca, a nível do emprego e da exportação, o Governo resolveu alterar as taxas para a exportação e para a importação, principalmente do peixe”, explicou Fernando Elísio Freire, porta-voz do Conselho de Ministros.

Há pesca excessiva no Sul de Moçambique

O Instituto Nacional de Investigação Pesqueira (IIP) revelou que há exploração excessiva de recursos pesqueiros na região Sul do país devido à grande concentração de embarcações industriais e semi-industriais.

ANGOLA

Fomento à pesca nas comunidades

O projecto de apoio à pesca artesanal e continental vai apoiar, este ano, no Cuanza Norte, 2.079 produtores individuais do meio rural, anunciou a coordenadora dessa iniciativa institucional. Maria Dombaxe, que falava no lançamento do projecto, realizado na localidade do Mucoso (Cambambe), indicou que serão apoiados dois mil produtores do ramo da pesca artesanal e 79 da continental nas comunas do Zenza do Itombe e Massangano, mais precisamente nas localidades do Nguimbi Songue e Dondo.

 Vídeo

PLAYLIST DE VÍDEOS LOBITO 2013

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

 VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

 Futuro Terminal de Cruzeiros do Rio de Janeiro

 Mindelo e São Vicente com muita morabeza

 Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

 Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

 Porto de Luanda - 1955

 Constituição da APLOP - 13.05.2011 - Primeiros momentos

 Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)

Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)