Início > Ambiente

DESCOBERTA DA UNIVERSIDADE DO ALGARVE

O ser vivo mais velho da Terra é uma erva marinha

O ser vivo mais velho da Terra que se conhece vive mesmo ao lado da Península Ibérica, é uma erva marinha que cresce no Mediterrâneo e pode ter mais de 100.000 anos, de acordo com uma equipa de cientistas que integra investigadores da Universidade do Algarve. A descoberta foi publicada nesta semana na revista Public Library of Science One.
A erva marinha chamada Posidonia oceanica não é uma alga, mas sim uma angiospérmica, ou seja, pertence ao grupo das plantas que dão flores, e é endémica do mar Mediterrâneo.

AQUACULTURA

Cabo Verde tem condições excepcionais para o cultivo de microalgas

Cabo Verde tem condições excepcionais, "até melhor do que Portugal", para o cultivo de microalgas, já que tem em abundância e qualidade muito sol e muita água do mar, garantiu, na Praia, o biólogo português João Navalho.
João Navalho falava aos jornalistas à margem da apresentação do projecto de cultivo de microalgas em Cabo Verde, visando, por exemplo, a extracção de pigmentos, como o betacaroteno, utilizado na indústria alimentar e cosmética.

Nova Zelândia salva 33 baleias que estiveram 48 horas em terra

Passaram mais de 48 horas em terra mas no dia 25 as últimas 33 baleias-piloto que estavam presas numa baía da Nova Zelândia partiram para águas mais profundas. Os 200 voluntários que responderam ao arrojamento colectivo de 99 animais conseguiram salvar um total de 60 baleias.
Do grupo inicial de 99 baleias-piloto que deram à costa na segunda-feira, 40 acabaram por morrer, 26 foram salvas no dia 23 e 33 puseram-se a caminho do mar alto, saindo de Golden Bay, dia 24.

Algas podem ser alternativa ao carvão e petróleo

Um grupo de investigadores dos EUA descobriu um método para transformar algas marinhas em etanol. Os cientistas acreditam, assim, que as algas podem ser uma verdadeira alternativa aos combustíveis fósseis como o petróleo e o carvão.
A equipa de peritos norte-americanos manipulou uma variante da bactéria E.coli conseguindo, com essa bactéria, transformar os açúcares das algas castanhas em etanol.

10 Navios do Futuro que transformarão o Rosto da Indústria Marítima

De acordo com um relatório recente, as emissões relacionadas com o transporte marítimo constituem 3% do total das emissões carbono globais, sendo esperado um aumento de 150-250% nos próximos 40 anos. É tempo de rever e repôr cada um dos aspectos da indústria naval a fim de reduzir as suas pegadas de carbono.

Alterações Climáticas provocam alterações no comportamento de alimentação do albatroz-gigante

O aumento da intensidade dos ventos e a sua deslocação na direcção do Pólo Sul, movimento que foi acompanhado pelas fêmeas desta ave, permitiram-lhe aumentar a sua velocidade de voo e assim encurtar a duração das “excursões” de alimentação durante o período de incubação dos ovos, o que conduziu a um aumento do sucesso reprodutor e do peso corporal.

 

Para salvar as baleias, o melhor é dar-lhes um preço, dizem cientistas

Enquanto ambientalistas e baleeiros travam, neste momento, uma luta sem tréguas nos mares frios do Oceano Sul, dois cientistas norte-americanos sugerem uma alternativa para acabar com a caça à baleia: colocar-lhes um preço e pô-las à venda.”

ONU diz que temperatura mais quente do oceano pode diminuir produção de peixes

“Em 24 anos, a temperatura de ambientes marinhos subiu cerca 1,5 ºC. Regiões pobres do planeta podem ser as mais prejudicadas pelo aquecimento. Relatório divulgado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) afirma que o aquecimento das águas superficiais dos oceanos limita o movimento dos nutrientes e pode resultar em diminuição da produção de peixes, o que afectaria o quotidiano da população.”

China lança peixes que se alimentam de algas para limpar lago

Autoridades na Província de Jiangsu, leste da China, informaram que lançarão peixes que se alimentam de algas no Lago Taihu, o terceiro maior lago de água doce do país, com o objectivo de combater a poluição. Um total de 475 toneladas métricas de peixes, principalmente a carpa prata, será libertado no lago de 2.400 quilómetros quadrados nos próximos dias, disse Shen Zhenhua, funcionário do escritório de administração de pesca do lago.

RESERVA MARINHA DA PONTA DO OURO

Moçambique vai candidatá-la a Património Mundial da Humanidade

O governo de Moçambique está a preparar a candidatura da Reserva Marinha da Ponta do Ouro, em Maputo, a Património Mundial da Humanidade. De acordo com a informação, confirmada à Rádio ONU, a proposta deverá ser submetida à Organização para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, “dentro de dois anos.”
Segundo o governo, a iniciativa visa garantir a conservação da biodiversidade e protecção dos recursos marinhos e costeiros existentes na região.

Novo derrame de crude paralisa pesca em Cabinda

Manchas negras cobrem a região costeira que vai da praia do Tchiaze à localidade do Mandarim. A poluição foi confirmada à Ecclesia por João Tendekela, da associação a “Voz do Pescador de Cacongo”, que congrega os pescadores da zona norte de Cabinda.
A companhia norte-americana “Cabinda Golf Oil Company” destacou já na região uma equipa que está a proceder à limpeza. No entanto, não assumiu publicamente a poluição de vasta região marítima, impedida de exercer a pesca.

Investigadores detectam metais pesados em pinguins na Antárctida

As penas de três espécies de pinguins na Antárctida têm vestígios de vários metais pesados, alerta um estudo de investigadores espanhóis, publicado recentemente na revista “Environmental Pollution”.
A Antárctida é normalmente considerada uma das regiões do planeta mais intocadas pelas actividades humanas. Mas um estudo da Universidade de Múrcia mostra que isso pode não corresponder bem à verdade.

Projecto «Angola LNG», vai produzir 12 milhões de toneladas de crédito de carbono por ano

Vinte e quatro milhões de toneladas de carbono serão produzidas anualmente em Angola, com a implementação de seis projectos, num total de 60 identificados, os quais proporcionam a redução de emissões ligadas com gás e barragens hidro-eléctricas, afirmou quarta-feira, em Durban, África do Sul, a ministra angolana do Ambiente, Maria de Fátima Jardim.
“A produção arranca já em 2012, com a entrada em funcionamento das barragens de Cambambe (Kwanza Norte) e do Gove (Huambo) e do projecto "Angola LNG", que produzirá cerca de 12 milhões de toneladas de credito de carbono ano. Posteriormente entram em funcionamento outros projectos como o parque eólico do Tômbwa, província do Namibe”, acrescentou a governante.
 

JAPÃO

Fundo do pós-tsunami usado para protecção da caça à baleia

Uma onda de indignação está a surgir após o Japão ter confirmado que 19 milhões de euros do fundo para a reconstrução da costa litoral, devastada pelo tremor de terra e tsunami de 11 de março, está a ser usado para proteger a frota da caça anual à baleia na Antártida dos activistas ambientais.
A frota japonesa de caça à baleia partiu esta semana de um porto japonês sob forte protecção das autoridades. A medida é defendida sob o argumento de que a protecção da caça à baleia irá permitir às cidades costeiras recuperarem.

COM ÁUDIO E VÍDEO

A comunicação das baleias

As baleias continuam a provocar algum mistério junto dos investigadores. Muitas informações obtidas por pesquisadores levantaram algumas questões, principalmente sobre a comunicação das baleias. As jubartes-macho são as que mais emitem sons, produzindo uma complexa sequência de lamentos, gritos agudos e sons ocos. Esses barulhos são algumas vezes combinados numa música que dura até 30 minutos. O que é surpreendente sobre essas canções é que as baleias repetem literalmente esses mesmos sons várias vezes e, numa região específica, cada macho emitirá a mesma canção fazendo pequenas mudanças de vez em quando para que evolua de uma forma diferente com o passar do tempo.

Poluição do Delta do Níger expõe o lado sujo da indústria do petróleo

Cerca de dez milhões de barris de petróleo teriam escorrido nos últimos 50 anos para o Delta do Níger, envenenando a água e poluindo a terra. Recuperação ambiental pode levar 30 anos, diz relatório da ONU.
Isso equivale a, todos os anos, aproximadamente a quantidade de petróleo que vazou no naufrágio do superpetroleiro Exxon Valdez no Alasca, em 1989.

Austrália quer tornar o Mar de Coral na maior área marinha protegida do planeta

O Mar de Coral está à beira de se tornar na maior área marinha protegida do mundo, com cerca de um milhão de quilómetros quadrados – uma área quase dez vezes maior do que a de Portugal –, de acordo com uma proposta do Governo australiano anunciada nesta sexta-feira.
Até Fevereiro de 2012 está em discussão pública a proposta de criação da Reserva marinha do Mar de Coral, com 989.842 quilómetros quadrados, nas águas que fazem parte da Zona Económica Exclusiva australiana. O ponto mais próximo da costa fica a mais de 60 quilómetros de distância.

Gestão ambiental é ponto fraco dos portos brasileiros

Decorreu esta semana, em Brasília, o Seminário de Gestão Ambiental Portuária. Por iniciativa da Secretaria de Portos (SEP) e da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), representantes do governo, de portos, especialistas e professores universitários discutiram meios de reduzir os impactos ambientais causados pela actividade portuária.

Programa de contingência do governo angolano protege o ambiente em caso de derrames

O responsável disse estar preocupado com a ausência de um Plano de Contingência a nível dos principais portos no país, pelo que sugeriu a criação de planos de intervenção em função de áreas de jurisdição. “Angola possui um plano nacional de contingência e o respectivo orçamento desde 2008. A Comissão Nacional de Luta Contra Derrames de Petróleo pretende neste seminário avaliar os procedimentos e reforçar as medidas operacionais”, ressaltou.
 

MOÇAMBIQUE INTEGRA O GRUPO

Projecto ASCLME

Ao longo dos próximos cinco anos, os nove países da região Oeste do Oceano Índico, incluindo Comores, Quénia, Madagáscar, Maurícias, Moçambique, Seicheles, Somália, África do Sul e Tanzânia, vão trabalhar em conjunto através do projecto do Grande Ecossistema Marinho das Correntes de Agulhas e Somali (ASCLME).
O projecto de cinco anos do Grande Ecossistema Marinho das Correntes de Agulhas e Somali (ASCLME) centra-se em dois grandes ecossistemas marinhos (LME) da região Oeste do Oceano Índico. Estes são o LME da Corrente de Somali – que se estende desde as Ilhas Comores e a ponta Norte de Madagáscar até ao corno de África – e o LME da Corrente das Agulhas que se estende desde a ponta Norte do Canal de Moçambique até ao Cabo das Agulhas.

 Vídeo

PLAYLIST DE VÍDEOS LOBITO 2013

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

 VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

 Futuro Terminal de Cruzeiros do Rio de Janeiro

 Mindelo e São Vicente com muita morabeza

 Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

 Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

 Porto de Luanda - 1955

 Constituição da APLOP - 13.05.2011 - Primeiros momentos

 Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)

Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)