Início > Pescas

CABO VERDE

Governo baixa taxas de importação dos produtos de pesca

O Governo, através do Conselho de Ministros, decidiu baixar as taxas de inspecção dos produtos de pesca. O Executivo diz que a medida visa melhorar a competitividade do sector das pescas no país, tendo em conta o peso que este tem nas exportações.

“Após uma análise da situação interna e externa do sector, e tendo em conta a importância da pesca, a nível do emprego e da exportação, o Governo resolveu alterar as taxas para a exportação e para a importação, principalmente do peixe”, explicou Fernando Elísio Freire, porta-voz do Conselho de Ministros.

Há pesca excessiva no Sul de Moçambique

O Instituto Nacional de Investigação Pesqueira (IIP) revelou que há exploração excessiva de recursos pesqueiros na região Sul do país devido à grande concentração de embarcações industriais e semi-industriais.

ANGOLA

Fomento à pesca nas comunidades

O projecto de apoio à pesca artesanal e continental vai apoiar, este ano, no Cuanza Norte, 2.079 produtores individuais do meio rural, anunciou a coordenadora dessa iniciativa institucional. Maria Dombaxe, que falava no lançamento do projecto, realizado na localidade do Mucoso (Cambambe), indicou que serão apoiados dois mil produtores do ramo da pesca artesanal e 79 da continental nas comunas do Zenza do Itombe e Massangano, mais precisamente nas localidades do Nguimbi Songue e Dondo.

ANGOLA

Maior porto pesqueiro do país está em construção no Tômbua

O executivo angolano, através do Ministério das Pescas, está agora a construir no Tômbua o maior porto pesqueiro do país, que contará com um entreposto que vai absorver o peixe para depois o lançar no mercado para o consumo.
O município do Tômbua tem ainda cinco fábricas de congelação que estão a funcionar em pleno e outras duas de salga e seca de peixe, fundamentalmente para as espécies sardinha, carapau e cavala.

Situação da pesca três vezes mais grave do que em 1974

O relatório da FAO de 2016 sobre a pesca alerta para o agravamento da situação das reservas de pesca, apelando a um esforço de todos para ser terminar com a sobrepesca. Com um consumo mundial per capita médio de peixe a ultrapassar, pela primeira vez, casa dos 20 kg por ano, o mais recente Relatório da FAO apela a todos os esforços para terminar com a sobrepesca sob pena de haver espécies em rápido desaparecimento.

Viveiros de salmão em navios pode ser solução de futuro

A Marine Harvest ASA, o maior produtor mundial de salmão do Atlântico apresentou um projecto de desenvolvimento de um viveiro de aquacultura de salmão num navio, dados os problemas actualmente existentes com o surto de piolho do mar que tem estado a afectar a produção em todo o mundo e muito em especial as águas da Noruega.

Aquacultura representa mais de metade do pescado para consumo

A aquacultura já representa mais de metade de todo o pescado para consumo humano, que em 2014 atingiu um novo máximo anual de 20 quilos per capita, informou a FAO. De acordo com o relatório anual da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) sobre o estado das pescas e da aquacultura no mundo, pela primeira vez em 2014, a produção aquícola mundial (incluindo plantas aquáticas) excedeu a obtida pelas capturas, atingindo 101,1 milhões de toneladas, o que representa 52% de toda a produção de peixe (195,7 milhões de toneladas).

Entra em vigor primeiro tratado internacional sobre pesca ilegal

A Agência da ONU para Agricultura e Alimentação (FAO) anunciou a entrada em vigor de um tratado internacional de combate à pesca ilegal. O documento foi ratificado por 29 países e pela União Europeia. O director da FAO, José Graziano da Silva, afirmou que a novidade é parte de um esforço para tornar a pesca sustentável. O documento foi adotado em 2009, após vários anos de negociação. Pelo menos 25 países precisavam ratificar o acordo, que passaria a valer 30 dias depois dessa meta ser atingida.

Academia de pescas em Angola terá gestão público-privada

A futura Academia de Pescas e Ciências do Mar do Namibe, em construção no sul de Angola com o apoio da Polónia, vai funcionar num regime de parceria de gestão público-privada, segundo decisão governamental.

Distribuída por seis edifícios já construídos e com capacidade para receber cerca de 500 alunos, a academia terá cursos superiores em áreas de eletricidade, eletrónica, gestão costeira, navegação, exploração de portos e frotas, computação, desenho técnico, processamento de pescado, aquicultura, oceanografia, entre outros, informa a agência Lusa.

FAO optimista com acordo sobre pesca ilícita que está para entrar em vigor

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) anunciou que 29 países e a União Europeia já depositaram formalmente os seus instrumentos de ratificação do acordo contra a pesca ilegal, não declarada e não reportada com a União Europeia (UE). Guiné Bissau e Moçambique estão entre os países que assinaram o documento.

PORTUGAL

Aquacultura já vale 54 milhões. E há todo um mar de oportunidades

Dez milhões de euros de investimento só em 2014. A produção de peixe e bivalves de aquacultura não para de crescer em Portugal e vale já mais de 54 milhões de euros. A maior parte para exportação. Um número que poderia ser multiplicado por dez “se fossem aproveitadas as marinas abandonadas” em todo o país. É um mercado “com grande potencial”, defende Fernando Gonçalves, secretário-geral da Associação Portuguesa de Aquacultores (APA).
 

ANGOLA

Cuanza Sul: Frota pesqueira da comuna do Quicombo vai ser reforçada

A frota pesqueira da comuna do Quicombo, município do Sumbe, província do Cuanza Sul, vai ser reforçada com vista a aumentar os índices de captura de pescado e contribuir para desenvolvimento socio-económico da região, anunciou o administrador comunal, Joaquim da Silva Carneiro,

ESTA SEXTA-FEIRA, DIA 8

«Reforço da Boa Governança da Pesca artesanal» em análise na Praia, Cabo Verde

A Organização da Pesca da África Ocidental (ADEPA), em parceria com a ADAD e ROPA-CV, realiza em Cabo Verde um atelier intitulado “Reforço da Boa Governança da Pesca Artesanal”, visando capacitar os profissionais que operam neste sector.

CUANZA SUL, ANGOLA

Carapau e sardinha, as espécies mais capturadas

O carapau, com 1,2 milhões de quilogramas contabilizados, e a sardinha, com 10,4 milhões de quilogramas, foram as espécies mais capturadas no ano de 2015 na província do Cuanza Sul, refere um relatório da direcção provincial das Pescas.

ANGOLA

Novas infra-estruturas pesqueiras vão aumentar níveis de produção

O Ministério das Pescas prevê, para este ano, a construção de um centro de larvicultura, na província do Cuando Cubango, além da implementação de um pólo de aquicultura no Cuanza Norte e Cuanza Sul, assim como a construção de uma fábrica de ração em Malanje. A titular da pasta, Victória de Barros Neto, que apresentou, recentemente, em Luanda, as realizações do sector durante o ano de 2015, assegurou que estão também previstas as obras de construção do centro de maricultura em Luanda e o projecto de repovoamento do carapau.

ANGOLA

Aumenta captura de peixe no país

Um total de 313 mil toneladas de pescado foram capturadas durante o ano transacto pelas associações de pescadores dos municípios de Ombadja, Cahama e Cuvelai, na província do Cunene, informa o director da Agricultura, Desenvolvimento Rural e Pecas do Cunene.

III Conferência Internacional «Pesca no Ártico: Desafios Atuais, Práticas Internacionais e Perspectivas»

Decorrerá em Murmansk, de 16 a 18 de março 2016, a 3ª edição da Conferência Internacional “Pesca no Ártico: Desafios Atuais, Práticas Internacionais e Perspetivas”, vocacionada para o reforço da cooperação internacional no domínio da indústria pesqueira e a promoção de um diálogo construtivo no seio da comunidade de pescadores profissionais sobre as principais áreas de atividade referentes às pescas costeira e oceânica, ao desenvolvimento da indústria de transformação de peixe, à aquicultura, à modernização da frota pesqueira, à implementação de novas técnicas e à investigação científica no Ártico.

PORTUGAL

Observatório das pescas e indústria conserveira

Pescas e conservas em boa maré. Falta de matéria-prima faz subir preços. Conservas diversificam e estão na moda. Sector quer poupar na água e na energia.

ANGOLA

Barco apanhado a fazer pesca ilegal

Um barco semi-industrial, com tripulação vietnamita, foi detido quinta-feira em Luanda pelos Serviços de Fiscalização de Pescas por prática de pesca com recurso a iluminação, método proibido por lei.

ANGOLA

Novos projectos revitalizam sector das Pescas em Benguela

Novos projectos estatais e privados estão a revitalizar o sector das Pescas em Benguela, disse ao Jornal de Angola o director provincial, José Gomes, que sublinhou a complementaridade entre as medidas tomadas pelo Governo e a iniciativa a seguir para reforçar a economia local.

 Vídeo

Porto de Lisboa – 6-7 Dezembro 2012

 “INTEGRAÇÃO DOS PORTOS DE TRANSHIPMENT NA AMÉRICA, ÁFRICA, EUROPA e ÁSIA” - Adalmir José de Sousa (4)

 VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

 VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

 Futuro Terminal de Cruzeiros do Rio de Janeiro

 Mindelo e São Vicente com muita morabeza

 Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

 Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

 Porto de Luanda - 1955

 Constituição da APLOP - 13.05.2011 - Primeiros momentos

 Constituição da APLOP

Constituição da APLOP

Foto de família