Início > Moçambique

PESQUISA DE HIDROCARBONETOS NO ROVUMA, MOÇAMBIQUE

Segurança da plataforma custa 200 mil dólares por dia

Seis barcos foram contratados para garantir a segurança da plataforma SAIPEM 10000, que, há sensivelmente seis meses ajuda os diversos engenheiros da multinacional italiana ENI na procura de gás e petróleo, nas águas profundas do rio Rovuma.

Moçambique recebe material ferroviário proveniente de Inglaterra

Moçambique vai receber, nos próximos sete meses, um total de 33 200 chulipas (travessas onde assentam os carris) fornecidas pelo grupo britânico Obtala Resources à Vale Moçambique, que ajudarão a melhorar a infra-estrutura ferroviária na região norte de Moçambique. A empresa Montara Continental Corp, controlada a 75% pelo grupo Obtala Resources, garantirá o contrato, sendo que o grupo está em negociações com a subsidiária moçambicana do grupo brasileiro Vale no sentido de aumentar a encomenda.

Malawi quer utilizar mais o porto moçambicano da Beira

A presidente malawiana, Joyce Banda, disse que o seu Governo vai aproveitar, em pleno, as facilidades oferecidas pelo Porto da Beira, um dos maiores de Moçambique e que dá acesso ao mar a muitos países do hinterland.
Falando durante a sua visita àquela infra-estrutura económica, Banda reconheceu as vantagens oferecidas por este Porto ao seu país e disse fazer sentido, do ponto de vista económico, que o Malawi passe a centrar as suas atenções para esta infra-estrutura.

MOÇAMBIQUE

Porto da Beira com novo armazém

A Bridge Shipping, operadora do Porto da Beira, anunciou a construção de um novo armazém de 7.200 metros quadrados ao lado do porto. O grupo Bridge Shipping é um dos maiores agentes de navegação da África Austral, explorando também as vertentes transitário, serviços de frete e armazenamento de mercadorias.

MOÇAMBIQUE

Ferrovia entre Nacala e Chiuta com financiamento assegurado

A linha de caminho-de-ferro que vai ligar Chiuta (província de Tete), e Nacala (Nampula), já tem financiamento assegurado, de acordo com declarações do director residente da empresa Eurasian Natural Resources Corporation (ENRC), o moçambicano José Eduardo Dai.
Em declarações ao Notícias de Maputo, José Dai disse que as negociações entre a ERNC e o governo de Moçambique estão em fase avançada e acrescentou que a linha, que irá exigir capitais avultados, terá, numa fase inicial, uma capacidade de 60 milhões toneladas por ano, prevendo-se um aumento posterior para 125 milhões de toneladas anuais.

 

Porto da Beira já recebeu 1 milhão de toneladas de carvão por via ferroviária

Com a chegada, dia 8, ao porto da Beira (Moçambique), de mais um carregamento, alcançou-se o milhão de toneladas de carvão mineral extraído na província de Tete que chega a este porto através da linha de caminho-de-ferro do Sena. O carvão foi extraído pela Vale Moçambique (subsidiária do grupo brasileiro Vale), envolvendo a operação de escoamento uma frota de 32 locomotivas, 638 vagões e uma estrutura logística que inclui 260 trabalhadores.

MOÇAMBIQUE

Linha do Sena terá maior capacidade até final do ano

O governo de Moçambique lançará, no segundo semestre deste ano, um concurso público para a actualização da linha do Sena, de modo a que possa ter capacidade para transportar doze milhões de toneladas por ano, já no final de 2012.

MOÇAMBIQUE

Porto da Beira encurta tempo de espera para carregamento de carvão

Com a entrada em funcionamento do terminal provisório especialmente construído no local, o tempo de espera para o carregamento de navios com um máximo de 35 mil toneladas de carvão diminuiu de 35 dias para apenas dois, informa José Otoni, um quadro da Vale Moçambique.

Banco Mundial apoia modernização dos portos e ferrovias de Moçambique

Graças à contribuição e experiência da Associação Internacional de Fomento (AIF) desde 1999, a produtividade dos funcionários das ferrovias e do sistema portuário de Moçambique aumentou em cinco vezes e sete vezes, respectivamente, em 2009.

Fernave procura maquinistas para projecto em Moçambique

A Fernave vai seleccionar 20 quadros técnicos qualificados oriundos exclusivamente da área de Tracção e Condução de comboios, com habilitação para condução de locomotivas diesel, para um projecto de assistência técnica de médio/longo prazo, com a duração mínima de 1 ano, no âmbito da actividade do transporte ferroviário de mercadorias. Para esse efeito, a empresa está a desenvolver um processo de recrutamento e seleção no mercado.

MOÇAMBIQUE

Ratificados acordos sobre fronteiras marítimas com a Tanzânia e Comores

A ASSEMBLEIA da República moçambicana aprovou, por consenso, três propostas de resolução que ratificam os acordos celebrados entre os Governos de Moçambique, Tanzânia e Comores sobre a delimitação e gestão das fronteiras marítimas comuns.

PRIMEIRO-MINISTRO DE MOÇAMBIQUE:

Imperioso usar linha-férrea para viabilizar porto de Maputo

O primeiro-ministro pressionou, quinta-feira, os Caminhos de Ferro de Moçambique – CFM – a investirem nas linhas-férreas de Goba, Limpopo e Ressano Garcia para descongestionar a Estrada Nacional número 4, utilizada nos últimos anos para o transporte de carga.
Aires Ali disse que a crescente utilização da rodovia para o transporte de cargas de natureza diversa, sobretudo minérios, tem reflexos directos na redução acelerada do tempo de vida útil das estradas, no equilíbrio ambiental, no aumento do consumo de combustíveis e do número de acidentes de viação.

PORTO DE MAPUTO, MOÇAMBIQUE

Lucros pela primeira vez em 9 anos de concessão

O presidente do Conselho Executivo da MPDC, o antigo administrador dos CFM, Osório Lucas, revelou que o porto de Maputo obteve lucros de oito milhões de dólares norte-americanos em 2011. É a primeira vez que a empresa apresenta lucros, num quadro em que as concessões do centro e norte do país só geram prejuízos ao Estado. No entanto, os lucros serão reinvestidos no âmbito do Plano Director da Empresa.

Ferrovia levou até ao porto de Maputo 25 toneladas de carvão oriundas do Botswana

O porto de Maputo foi o destino da primeira exportação de 25 toneladas de carvão por via ferroviária por parte da Companhia de Recursos Energéticos Africanos (AFR) do Botswana, numa operação que durou quatro dias. O ministro dos Transportes e Comunicações do Botswana, Nonofo Molefhi, destacou a importância da operação, por demonstrar que “é possível” utilizar a estação ferroviária de Francistown para a exportação do carvão mineral para o porto de Maputo e para os mercados asiáticos.

MOÇAMBIQUE

Expansão do porto de Maputo orça em 800 milhões de dólares

A Grindrod nomeou o Standard Chartered Bank como assessor financeiro único para o projecto de expansão do Terminal de carvão de Maputo (TCM) em Moçambique. Estimado em 800 milhões de dólares, o projecto de expansão aumentará a capacidade do terminal do porto de carvão dos actuais 6 milhões de toneladas/ano para 20 milhões/ano.

MOÇAMBIQUE

Banco Mundial aprova financiamento de mais de um bilião de dólares

O Conselho de Administração do Banco Mundial aprovou, na semana passada, a nova Estratégia de Parceria para Moçambique (CPS), cobrindo o período 2012-2016, que se destina a promover o crescimento económico inclusivo e de base ampla. A nova estratégia será financiada por um valor de cerca de 1,04 bilião de dólares de créditos.

Moçambique a crescer mais de 7% ao ano atrai investimento português

A descoberta de gás, suficiente para sustentar Portugal durante 22 anos, e da maior reserva de carvão no hemisfério sul provocaram uma corrida de investidores. Com a Galp e Cimpor na fila da frente.
Os dois voos semanais da TAP para Maputo estão cheios de portugueses. E já não chegam. A partir do Verão, a companhia aérea vai duplicar a frequência na rota: quatro voos por semana para a capital moçambicana. O consulado de Portugal regista cerca de 140 entradas por semana - há dois anos, a média era de 60.

Moçambique cede mar à Namíbia

Numa cooperação bilateral ainda muito fraca, sobretudo no aspecto económico, o sector das pescas poderá ser a principal bandeira de intercâmbio entre as duas nações, com Moçambique a ceder o mar aos namibianos para pescarem anualmente mais de 35 mil toneladas de diversos mariscos.

MOÇAMBIQUE

Janela Única Electrónica segue para a Beira e Nacala

Os portos da Beira e de Nacala serão os próximos a receber a Janela única electrónica (JUE), um instrumento concebido para imprimir maior celeridade ao processo de desembaraço aduaneiro de mercadorias. Lançada recentemente no Porto de Maputo, a JUE é tida como um projecto inovador que contribui para a redução dos custos de desalfandegamento, bem como do volume de papéis envolvidos no processo.

MOÇAMBIQUE

Alfândegas já arrecadaram 103 milhões de meticais através da JUE

As Alfândegas de Moçambique arrecadaram, no Terminal Internacional Marítimo (TIMAR), no porto de Maputo, cerca de 103 milhões de meticais. O valor é resultante da submissão de 234 despachos electrónicos, nos meses de Janeiro e Fevereiro, através da Janela Única Electrónica (JUE).

 Vídeo

Porto de Lisboa – 6-7 Dezembro 2012

 “INTEGRAÇÃO DOS PORTOS DE TRANSHIPMENT NA AMÉRICA, ÁFRICA, EUROPA e ÁSIA” - Adalmir José de Sousa (4)

 VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

 VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

 Futuro Terminal de Cruzeiros do Rio de Janeiro

 Mindelo e São Vicente com muita morabeza

 Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

 Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Sandra Augusto

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

 Porto de Luanda - 1955

 Constituição da APLOP - 13.05.2011 - Primeiros momentos

 Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)

Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)