Início > Moçambique

NAVEGABILIDADE DO ZAMBEZE

Seis empresas concorrem para o estudo do impacto ambiental

Seis empresas estrangeiras manifestaram interesse na realização do estudo de viabilidade sobre a navegabilidade dos Rios Chire e Zambeze, desde Nsanje no Malawi, até ao Chinde, na província da Zambézia, na sequência do concurso lançado pelo governo malawiano. O anúncio foi feito pelo ministro malawiano dos transportes e infra-estruturas, Sidik Mia.
Mia disse que o seu governo lançou este ano um concurso para a contratação de empresas nacionais e estrangeiras interessadas na realização do estudo de viabilidade, e adiantou que depois do tempo previsto, apenas seis companhias estrangeiras é que apresentaram as suas propostas.

Linha de caminho-de-ferro entre Moatize e Nacala concessionada à CLIN

O governo de Moçambique entregou a linha de caminho-de-ferro Moatize/Malawi e o ramal ferroviário de Nacala-a-Velha, em regime de concessão, à Corredor Logístico Integrado do Norte (CLIN). À mesma empresa foi ainda concessionado o Terminal Portuário de Carvão de Nacala-a-Velha.

MOÇAMBIQUE

Portos da Beira e Nacala necessitam de mais equipamento

A produtividade e a eficiência dos portos da Beira e Nacala estão seriamente comprometidas pela falta de guindastes, tratores, reboques e outros materiais de operação portuária. O porto de Nacala, por exemplo, dispõe apenas de equipamento que satisfaz menos de 35% das suas necessidades.

MOÇAMBIQUE

Obras do terminal de combustíveis no porto da Beira começam em breve

Os trabalhos para a construção de um terminal de combustíveis no porto da Beira deverão iniciar-se “em breve” levando 15 meses até à sua conclusão, disse à Rádio Moçambique uma fonte ligada ao empreendimento.
O novo terminal, cujo estudo de impacto ambiental foi apresentado na capital da província de Sofala, terá uma capacidade de 85 mil metros cúbicos e exigirá um investimento de 50 milhões de dólares.

MOÇAMBIQUE

Dificuldades na Janela Única Electrónica

Os despachantes aduaneiros querem maior articulação com o sector financeiro para levarem a bom termo o processo de implementação da Janela Única Electrónica, instrumento informático em implementação nos portos e fronteiras do país, visando tornar célere e mais barato o processo de desembaraço aduaneiro de mercadorias, além de evitar a utilização de papéis (documentos escritos) no processo.

MOÇAMBIQUE

Estratégia para Desenvolvimento Integrado dos Transportes está em andamento

Eusébio Saide, vice-ministro dos Transportes e Comunicações de Moçambique, congratulou-se pelo facto da Estratégia para o Desenvolvimento Integrado dos Transportes, aprovada pelo governo moçambicano, já estar em execução no país com algumas intervenções, principalmente nos portos de maiores dimensões.
Entre os investimentos nos portos, destacou a dragagem do canal de acesso e da bacia de manobras no porto da Beira e a construção do terminal de carvão e a draga oceânica com capacidade de 2500 metros cúbicos, entre outras intervenções.

MOÇAMBIQUE

Descobertas de depósitos de gás não param

Depósitos de gás natural de grandes dimensões continuam a ser descobertos em Moçambique, cativando ainda mais as atenções internacionais para o sector energético do país e em particular para a bacia do Rovuma, afirma a Economist Intelligence Unit.
“Observadores da indústria têm descrito o ritmo e tamanho das descobertas na zona [da bacia do Rovuma] como das maiores e mais significativas dos anos mais recentes”, afirma a EIU no seu mais recente relatório sobre a economia moçambicana.

MOÇAMBIQUE

Porto da Beira recebe novo equipamento de dragagem

O porto da Beira, na província de Sofala, passou a dispor de um novo rebocador e duas lanchas que vão assegurar o melhoramento das operações marítimas, nomeadamente embarque e desembarque de pilotos, bem como entradas e saídas de navios.
O rebocador e as lanchas permitirão ainda à Empresa Moçambicana de Dragagem (Emodraga) garantir o controlo e a dragagem de manutenção do canal de acesso ao porto da Beira, num volume anual de 2,5 milhões de metros cúbicos de sedimentos, incluindo os cais de acostagem e bacias de manobras.

MOÇAMBIQUE

Governo negoceia empréstimo chinês para construção de porto de águas profundas

De acordo com o ministro da Planificação e Desenvolvimento, Aiuba Cuereneia, o governo moçambicano está a negociar com o Banco de Desenvolvimento da China um empréstimo de 1.500 milhões de dólares para a construção do porto de águas profundas em Nacala-a-Velha, na província de Nampula, que terá capacidade para processar 20 milhões de toneladas por ano.

MOÇAMBIQUE

Zambézia: mais de 15 projectos precisam de investidores

Mais de 15 projectos, que poderão impulsionar o desenvolvimento socioeconómico da Zambézia, aguardam por um investimento de mais de 20 mil milhões de USD, avança a revista Capital. Trata-se dos empreendimentos de construção de terminais rodoviárias mistas, de cais de acostagem, da linha-férrea Moatize/Macuse, da edificação do Hospital Central de Quelimane, Efripel, Aquapesca, Suzana Papel e Celulose, Rio Tinto-Corredor de Transporte Integrado, projecto âncora de investimento em turismo em Moçambique, reabilitação da Reserva Nacional de Gilé, Coutada Zona Tampão, reabilitação da Casa dos Noivos na cidade de Gúruè, do Hotel Dom Carlos, entre outros.

MOÇAMBIQUE

Consórcio português repara rodovia que liga porto da Beira ao Zimbabwe

O consórcio português MCA (M.Couto Alves) já iniciou as obras de reparação dos pontos mais críticos do tapete de asfalto da Estrada Nacional 6, que liga o porto da Beira à vila fronteiriça de Machipanda com o vizinho Zimbabwe.
Segundo informou o delegado da Administração Nacional de Estradas (ANE) em Sofala, a obra, orçada em 4,8 milhões de dólares, foi adjudicada ao consórcio português constituído pelas empresas MCA Moçambique, M. Couto Alves Vias e Inglob Construções, sendo que as obras estão centradas, de acordo com Belmiro Rodolfo, no troço Beira-Inchope, um percurso de aproximadamente 135 quilómetros.

MOÇAMBIQUE

Governo delega em Zucula negociação da concessão do Porto de Nacala

O Governo aprovou e apreciou a resolução que delega no ministro dos Transportes e Comunicações, Paulo Zucula, a competência para negociar, em nome e em representação do Governo de Moçambique, a alteração do contrato de concessão do porto de Nacala e os termos da concessão, aprovados pelo decreto 20/2000, de 25 de Julho. Isto é, o ministro dos Transportes e Comunicações passa a deter o poder de negociar, com os concessionários, os termos de participação do capital privado na reabilitação, exploração e gestão de infra-estruturas dos serviços do porto de Nacala.

Vale diz que já pagou mais de mil milhões de dólares a empresas moçambicanas

A multinacional brasileira Vale afirma que está a trabalhar com mais de 400 empresas moçambicanas de prestação de serviços, às quais já pagou mais de um bilião de dólares americanos. A Vale é uma das maiores empresas envolvidas na exploração de carvão mineral em Moatize, província central de Tete, tendo já exportado um milhão de toneladas, movimentadas em mais de 400 comboios, no período de Agosto do ano passado (quando iniciaram as exportações) a Maio último.

COM APOIO DO GRUPO ETE

Macs transporta material de socorro doado a Moçambique

Macs, armador alemão que mantém um serviço regular ligando Portugal a Moçambique, aceitou transportar no navio “Thor Horizon”, que saiu de Lisboa dia 6 de Junho, um contentor de 40 pés contendo material de salvamento do Instituto de Socorros a Náufragos a doar ao Serviço de Salvação Pública do Ministério do Interior de Moçambique, suportando parte substancial do valor do respectivo frete.

VISANDO ESCOAMENTO DE CARVÃO PARA OS PORTOS

Empresas indianas estudam construção de linha férrea no centro de Moçambique

O grupo estatal Coal India iniciou conversações com dois grupos industriais indianos, Essar e Naveen Jindal, para o desenvolvimento conjunto de infra-estruturas de transporte em Moçambique, disse um director do grupo citado pela agência indiana DNA (Daily News and Analysis).
“Os nossos activos em Moçambique exigem a construção de 500 a 600 quilómetros de caminho-de-ferro (de Tete para a Beira) a fim de que o carvão extraído possa ser transportado até aos portos para exportação”, disse a fonte, para acrescentar que havendo mais empresas indianas a operar na mesma área “os custos com a construção da linha férrea podem ser assumidos por mais do que uma entidade”.

Economia moçambicana deverá crescer 7,9% em 2013

O Produto Interno Bruto (PIB) em Moçambique vai crescer de 7,2% em 2011 para 7,9% em 2013, prevê o relatório Perspectivas Económicas em África 2012, do Banco Africano para o Desenvolvimento, OCDE e ONU, divulgado em Arusha, capital da Tanzânia.
Este ano, o Produto Interno Bruto (PIB) terá uma taxa de crescimento de 7,5%, refere o documento, que associa a situação ao início das exportações de carvão e aos "fortes desempenhos nos serviços financeiros e sectores de transportes, comunicações e construção".

União Europeia e Moçambique assinam novo acordo de pesca

O Parlamento europeu deu o seu acordo para a conclusão de um novo acordo de pesca entre a União Europeia (UE) e Moçambique, exortando uma maior implicação na fase de controlo das operações de pesca.
Segundo um comunicado oficial divulgado quinta-feira em Bruxelas, o novo acordo que deve vigorar até 31 de Janeiro de 2015 autoriza um quota de captura de peixe de oito mil toneladas anualmente para os navios europeus com bandeira da Espanha, de França, de Portugal e do Reino Unido.

LISBOA/ACCESS AFRICA FORUM

Moçambique precisa de transformar os seus recursos naturais

O desejo do Governo moçambicano é ver os abundantes recursos naturais já descobertos e em processo de pesquisa, com particular destaque para o gás natural e o carvão mineral, transformados e colocados nos centros de consumo em benefício da indústria local e das populações. O desejo nesse sentido foi reafirmado esta quinta-feira na capital portuguesa, Lisboa, durante o segundo Fórum Access Africa, destinado a criar redes entre empresas norte-americanas e portuguesas para investir em Moçambique. O anterior teve lugar em 2010.

MOÇAMBIQUE

Linha de Sena é bandeira dos CFM

A empresa Caminhos de Ferro de Moçambique está a celebrar vitórias memoráveis, em virtude do seu desempenho no último exercício, que passou pelo relançamento da linha de Sena, que há 29 anos estava paralisada, a reintrodução do serviço de transporte ferroviário de passageiros na linha de Goba e o alcance da cifra de 19 milhões de toneladas de carga manuseada nos seus portos, segundo disse, em Pemba, o PCA dos CFM, Eng. Rosário Mualeia.

Câmara de Comércio Moçambique-Portugal comemora dois anos de existência

Mais 11 empresas integraram a organização no último ano, o que é visto por muitos como uma prova da credibilidade que a CCMP já conquistou. A gala comemorativa teve uma adesão de quase 100% dos convidados, entre empresários, dirigentes de instituições públicas e privadas, bem como empresários dos dois países.

 Vídeo

Porto de Lisboa – 6-7 Dezembro 2012

 “INTEGRAÇÃO DOS PORTOS DE TRANSHIPMENT NA AMÉRICA, ÁFRICA, EUROPA e ÁSIA” - Adalmir José de Sousa (4)

 VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

 VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

 Futuro Terminal de Cruzeiros do Rio de Janeiro

 Mindelo e São Vicente com muita morabeza

 Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

 Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Sandra Augusto

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

 Porto de Luanda - 1955

 Constituição da APLOP - 13.05.2011 - Primeiros momentos

 Constituição da APLOP

Constituição da APLOP

Foto de família