Início > Ambiente

Cientistas do MARE estudam aves marinhas de Cabo Verde

Investigadores do Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE) da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), em parceria com o Governo de Cabo Verde, estão a estudar nove espécies de aves marinhas daquele arquipélago, no âmbito de um projecto internacional financiado em 2,4 milhões de euros pela fundação para conservação da natureza MAVA e chefiado pela BirdLife International.

Maersk e Canal do Panamá juntam-se a aliança em prol do baixo carbono

A Maersk e a Autoridade do Canal do Panamá (ACP) juntaram-se à Aliança Industrial Global de Apoio ao Transporte Marítimo de Baixo Carbono (conhecida pelo acrónimo GIA, de Global Industry Alliance), que funciona sob a égide da Organização Marítima Internacional (IMO, em inglês).

Há uma ameaça para a Humanidade «adormecida» no fundo do mar

As alterações climáticas ameaçam causar uma enorme libertação de carbono que se encontra “adormecido” no fundo do mar, processo que já ocorreu no passado, tendo resultado num aumento da temperatura atmosférica de tal magnitude que acabou com a Era do Gelo, sugere um novo estudo.

A investigação, cujos resultados foram publicados em janeiro na revista especializada Environmental Research Letters, aponta que no final do período Pleistoceno – há aproximadamente 17000 anos – uma grande quantidade de gases de efeito de estufa escapou do leito oceânico para a atmosfera devido à atividade hidrotermal.

Angola reafirma aposta na economia azul

A ministra angolana das Pescas e do Mar, Maria Antonieta Baptista, reafirmou, no Reino de Marrocos, o compromisso de Angola na promoção da economia azul.

A par da economia azul, Angola vai trabalhar para contrapor os efeitos nocivos das alterações climáticas, criando condições para salvaguardar a saúde humana, preservação do meio ambiente e desenvolvimento da economia.

O aquecimento dos oceanos já está a afectar os peixes

Um grupo de investigadores de várias universidades e institutos científicos dos EUA terá encontrado uma relação entre o aquecimento global e a redução das populações de peixes. A diminuição em si não é uma novidade, mas o papel direto e generalizado da subida da temperatura do mar não era conhecido. Até aqui, culpava-se quase exclusivamente a sobrepesca.

"Ficámos aturdidos por descobrir que os stocks de pesca já estão a ser afetados pelo aquecimento dos oceanos. Isto já não são cenários hipotéticos", disse Malin Pinsky, um dos especialistas envolvidos no estudo, publicado na Science.

Nanopartículas de plástico afectam a cadeia alimentar marinha

O cenário dos plásticos no oceano não melhora. Um estudo recente de investigadores da Universidade Heriot-Watt, da Escócia, revela que as nanopartículas de plástico de que tanto se fala podem juntar-se a bactérias e outras partículas orgânicas formando aglomerados que afectam a cadeia alimentar marinha, segundo o Maritime Executive.

Oceano retém 90% dos Gases de Efeitos de Estufa

As alterações climáticas estão a aquecer rapidamente os oceanos. Segundo um estudo recente publicado no Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of America (PNAS), levado a cabo por cinco investigadores do Reino Unido e dos Estados Unidos, Laure Zanna, Samar Khatiwala, Jonathan M. Gregory, Jonathan Ison e Patrick Heimbach, o oceano está a absorver 90% do calor retido devido às emissões de Gases de Efeitos de Estufa (GEE), pelo que, apenas cerca de 10% vão para a atmosfera e solos.

Toyota vai construir embarcação de pesca a hidrogénio

A empresa japonesa Toyota projecta construir, em colaboração com a Japan Fisheries Research and Education Agency (FRA), uma embarcação de pesca movida a hidrogénio, com zero emissões de CO2, segundo o Safety4Sea.

A FRA começará a projectar o navio em 2019 para realizar testes de mar em 2022, com o objectivo de o comercializar, contribuindo assim para limitar as emissões de CO2. A embarcação em questão, um protótipo de 19 toneladas, será usada para a pesca de atum nas ilhas de Goto, em Nagasaki, no Japão.

Empresas juntam-se para evitar a poluição oceânica de plásticos

Várias empresas do mundo juntaram-se para criar uma associação, Alliance to End Plastic Waste (AEPW), que promova soluções para banir o desperdício de plástico no ambiente, especialmente no oceano, segundo vários meios de comunicação internacionais. O primeiro passo comprometeu já cerca de 870 milhões de euros, sendo que esperam investir no projecto mais de 1.300 milhões de euros nos próximos cinco anos.

Aquecimento dos oceanos ocorre em ritmo mais rápido que o esperado

A temperatura dos oceanos está a aumentar em ritmo mais rápido do que anteriormente estimado, ameaçando uma grande quantidade de espécies marinhas e podendo resultar na elevação do nível do mar, revela um estudo de cientistas americanos e chineses. As conclusões, divulgadas na revista Science, contrariam pesquisas anteriores que apontavam para uma estagnação do aquecimento global nos últimos anos.

Samskip avança com projecto de porta-contentores autónomos sem emissões poluentes

  Foi recentemente anunciado aquele que será o primeiro projecto para introduzir no mercado navios porta-contentores autónomos sem emissões poluentes – Seashuttle – desenvolvido pela Samskip, uma das principais operadoras multimodais da Europa, com o apoio de parceiros como a FlowChange, empresa de tecnologia, e a HYON and Massterly, integradora de hidrogénio.

Oceanos absorvem mais 60% de energia anualmente do que o referido em 2014

De acordo com estudos da Universidade de Princeton e do Scripps Institution of Oceanography da Universidade da Califórnia, em San Diego, durante o último quarto de século o oceano absorveu anualmente uma quantidade de energia 150 vezes superior à energia eléctrica produzida pelos seres humanos, avança o Safety4Sea.

Sistema para retirar lixo do Pacífico não está a resultar

O dispositivo que foi lançado ao mar em outubro com o objetivo de limpar o lixo que está no Oceano Pacífico está muito aquém das expectativas, revelou a The Ocean Cleanup, a organização responsável.
A Ocean Cleanup System 001, uma barreira flutuante em forma de U com 610 metros de comprimento e uma espécie de saia com 3 metros pendurada, que fica por baixo de água, não está a conseguir reter o plástico.

Diminuir o tempo de espera dos navios pode ser um passo para reduzir poluição

Reduzir o tempo de espera dos navios em espera fora do porto e ancorados poderá ser um passo para diminuir as emissões dos navios? Membros do projecto GloMEEP (Global maritime energy efficiency partnerships) da Global Industry Alliance (GIA) concluíram que sim, e por isso pretendem implementar o just in time, ou seja, actualizações da situação dos portos que, providenciadas aos navios antecipadamente, permitir-lhes-á marcar a chegada ao porto e consequentemente reduzir emissões e a despesa com combustível.

Maersk anuncia neutralidade carbónica para 2050

A Maersk quer atingir a neutralidade carbónica em 2050; para tal os navios neutrais em termos de carbono deverão ser comercialmente viáveis em 2030. Este objectivo requer igualmente uma aceleração em matéria de inovação e de adaptação de novas tecnologias ao transporte marítimo, segundo a empresa, que desde 2007 reduziu as suas emissões de CO2 em 46%, face a padrões desse ano, o que significa 9% acima da redução média das emissões pela indústria.

A 4 mil metros de profundidade está a bactéria que absorve CO2

Afinal, há mais do que peixes mortos e plâncton na Zona de Fractura Clarion-Clipperton, a 4 mil metros de profundidade. Existe uma bactéria que, além de absorver o dióxido de carbono (CO2), serve posteriormente de alimento à vida marinha na zona, segundo vários meios de comunicação internacional.

Descobertas pelo professor Andrew K. Sweetman, da Universidade Heriot-Watt de Edimburgo, no Reino Unido, no Atlântico Norte, estas bactérias são “os organismos importantes que consomem detritos orgânicos que flutuam em direcção ao fundo do oceano”, explica o próprio.

Salvamento da Grande Barreira de Coral pode estar nas larvas

Um grupo de cientistas anunciou o lançamento da tentativa de reabilitação mais ambiciosa da Grande Barreira de Coral, que consiste em recolher óvulos e esperma desses animais e criá-los em laboratório antes de reintroduzi-los na jóia da natureza australiana.
A Grande Barreira de Coral, reconhecida como Património Mundial da UNESCO desde 1981, tem uma extensão de 345 mil quilómetros quadrados e é considerada a maior barreira de recife do planeta.
 

Análise da evolução do desempenho ambiental nos portos brasileiros

Em todo o mundo, as comunidades residentes nas proximidades dos portos e os ambientalistas colocam pressão sobre as autoridades portuárias para atenuar os impactos ambientais das atividades densenvolvidas nos portos, que poluem especialmente a água e o ar. Em 2011, o Brasil, por intermédio da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ), deu um importante passo na direção do monitoramento e controle ambiental nos portos nacionais. A ANTAQ firmou termo de cooperação com o Centro Interdisciplinar de Estudos em Transportes da Universidade de Brasília (CEFTRU/UnB) para desenvolver metodologia de cálculo do desempenho ambiental de instalações portuárias.

Primeira grande operação contra crimes marítimos de poluição

Foi recentemente realizada pela INTERPOL a primeira operação, com várias agências, contra crimes marítimos de poluição, nos termos legais, em resposta a um apelo para impulsionar a acção contra crimes ambientais emergentes. Tratou-se de uma operação que identificou 500 infracções, incluindo descargas ilegais de petróleo e lixo de navios, violações das regras de emissões dos navios, bem como poluição de rios e escoamento da terra para o mar.

13 ilhas em risco de desaparecer nos próximos anos

Por todo o mundo, existem diversas ilhas paradisíacas que lentamente vão sendo submersas pelo oceano, e desaparecendo do mapa. Muitas delas estão na lista de destinos de vários viajantes. Mas nos próximos anos podem deixar de ser opção.

 Vídeo

Porto de Lisboa – 6-7 Dezembro 2012

 “INTEGRAÇÃO DOS PORTOS DE TRANSHIPMENT NA AMÉRICA, ÁFRICA, EUROPA e ÁSIA” - Adalmir José de Sousa (4)

 VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

 VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

 Futuro Terminal de Cruzeiros do Rio de Janeiro

 Mindelo e São Vicente com muita morabeza

 Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

 Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

 Porto de Luanda - 1955

 Constituição da APLOP - 13.05.2011 - Primeiros momentos

 Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)

Constituição da APLOP - João Carvalho (IPTM) e José Luís Cacho (APP)