Início > História

VIAJANDO PELA HISTÓRIA | BRASIL

Porto de Cabedelo inaugurado a 23 de Janeiro de 1935

O Porto de Cabedelo foi inaugurado a 23 de janeiro de 1935, mas a proposta e concepção datam de muito antes. Os primeiros passos no planeamento para a construção de um porto na enseada de Cabedelo (PB) datam do Segundo Reinado. Para isso, em 21 de abril de 1893, foi iniciada a primeira dragagem, através do vapor norueguês FORDEN KJOLD.

23 DE JANEIRO DE 1960

O homem chega ao ponto mais profundo do oceano

O homem chegou à Fossa das Marianas, o ponto mais profundo do oceano, a 23 de Janeiro de 1960, quando o batíscafo Trieste atingiu a Depressão Challenger, a 10916 metros de profundidade, levando os mergulhadores Don Walsh e Jacques Piccard. Em 1995, o mesmo ponto foi atingido pelo submarino-robô japonês Kaikō, recentemente perdido durante uma tempestade. Na única ocasião em que seres humanos estiveram no ponto mais profundo do globo, não havia como tirar fotografias, uma vez que as janelas do batíscafo foram diminuídas a tamanhos de moedas, para melhor resistir à pressão, e não existem registos visuais do evento.

VIAJANDO PELA HISTÓRIA | GRIPE ESPANHOLA

A viagem em que o «navio da morte» Demerara venceu bombardeios alemães e levou a doença para o Brasil

O vírus, que hoje é conhecido como influenza e que ainda causa vítimas esporádicas, não chegou ao Brasil embutido no organismo de passageiros de aviões, até porque eles ainda estavam sendo inventados, mas sim a bordo de um único navio: o transatlântico inglês Demerara, que chegou ao porto de Recife, vindo de Inglaterra e Portugal, a 14 de setembro de 1918.

HISTÓRIA

Há cem anos, os pescadores poveiros disseram não ao Brasil e regressaram a Portugal

Entre o final de 1920 e 1921, os pescadores da Póvoa de Varzim radicados em vários locais do Brasil rejeitaram naturalizar-se e, impedidos de continuar a trabalhar naquele país, foram repatriados. A Portugal regressaram pobres, mas foram recebidos como heróis patriotas.

Caçador de tesouros e África do Sul disputam riquezas encontradas em naufrágio da 2.ª Guerra

Um Tribunal do Almirantado Britânico decidiu a favor de um caçador de tesouros que disputa com a África do Sul a propriedade de cerca de 60 toneladas de prata, avaliadas em mais de 43 milhões de dólares, recuperadas de um navio naufragado no oceano Índico em 1942, durante a II Guerra Mundial.

De acordo com o jornal britânico The Times, o tesouro disputado – 2.364 lingotes de prata – tinha sido adquirido pela Casa da Moeda sul-africana. No entanto, o navio que o carregava, o SS Tilawa, foi atacado por submarinos japoneses no seu trajeto da cidade indiana de Bombaim até à costa africana, afundando a cerca de 1.500 quilómetros a nordeste das ilhas Seychelles.

Durante 15 anos, a Suécia pensou que estava a ser invadida por submarinos

Na década de 1980, um grande incidente diplomático entre superpotências nucleares pode ter sido desencadeado pela flatulência de peixes. Aliás, a Rússia e a Suécia quase entraram em guerra por causa disso – mas não o sabiam.

Segundo conta o IFLScience, em 1981, um submarino soviético encalhou na costa sul da Suécia, a apenas 10 quilómetros de uma base naval sueca. Os soviéticos alegaram que foram forçados a entrar em território sueco devido a graves dificuldades e erros de navegação posteriores, enquanto a Suécia viu nisso uma prova de que a então União Soviética estava a infiltrar-se nas águas suecas.

BRASIL

Porto e Recife: uma relação secular de desenvolvimento

Vila de pescadores que cresceu a ponto de tornar-se capital de uma das mais prósperas capitanias da história, Recife deve à região portuária o seu crescimento.

O Recife só ganhou a importância que tem hoje por conta do seu porto. Um local surgido do improviso de pescadores vivenciou, no passar dos séculos, a transformação de ancoradouro de caravelas a cais urbano, por onde passam 230 navios por ano, entre cargueiros e cruzeiros. Se hoje é uma das entradas turísticas do estado, o local também abriu as portas políticas para tornar o Recife capital pernambucana, tirando o posto de Olinda, ainda no século 19.

CONSIDERADA A 8.ª MARAVILHA DO MUNDO

Encontrado navio nazi que pode conter a lendária Câmara de Âmbar

Uma equipa de mergulhadores e especialistas polacos localizou no fundo do Mar Báltico um navio de guerra nazi que foi afundado durante a II Guerra Mundial e que poderia conter a lendária Câmara de Âmbar, perdida há mais de meio século.

De acordo com a agência de notícias PAP, o naufrágio do navio alemão Karlsruhe foi descoberto cerca de 88 metros abaixo do nível do mar, na costa de Ustka, na Polónia. Foi encontrado por mergulhadores que exploravam a área em busca do navio de guerra que naufragou a 13 de abril de 1945 após ser atacado por uma aeronave soviética.

Barba-Negra encalhou o seu navio pirata de propósito

O pirata britânico Barba-Negra encalhou deliberadamente o seu navio pirata, Queen Anne’s Revenge, propõe um investigador. A embarcação estaria em péssimas condições.

Edward Teach, mais conhecido como Barba-Negra, é talvez o mais famoso pirata de todos os tempos. Depois de vários saques que lhe foram valendo fortunas, o temível pirata acabaria por morrer em 1718, após ser atacado pela tripulação do então governador da Virgínia, Alexander Spotswood.

Explosão como a do Líbano foi evitada no Recife em 1985

No dia 12 de Maio de 1985 o Recife poderia ter sido atingido por uma explosão de proporções parecidas com aquela ocorrida no Porto de Beirute, capital do Líbano, a 4 de Agosto de 2020. A atitude corajosa de Nelcy da Silva Campos, porém, evitou a catástrofe. O prático da barra do Porto do Recife levou um navio em chamas para alto mar, afastado o risco da capital pernambucana.

O navio petroleiro Jatobá, da companhia de navegação Flumar, estava atracado no Porto do Recife transportando 1,5 mil toneladas de gás de cozinha. Havia três tanques armazenados na casa de máquinas, cada um com 250 toneladas de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP). À 1h20 da madrugada um dos tanques explodiu. Uma escotilha chegou a ser atirada para fora do navio tamanha a força da explosão e atravessou a parede do Armazém 1 do Cais do Porto, onde estava atracado.

O fogo ameaçava explodir 153 mil metros quadrados do produto inflamável, já que o porto estava cheio.

VIAJANDO PELA HISTÓRIA

As antigas águas da Austrália estavam cheias de escorpiões gigantes predadores

As antigas águas em redor da Austrália podem ter estado cheias de enormes escorpiões marinhos predadores que mediam 2,5 metros de comprimento.

Conhecidos como Eurypterida, estes animais ferozes foram os maiores predadores marinhos a aparecer no registo fóssil e acredita-se que sejam os ancestrais dos escorpiões modernos e de outros aracnídeos.

Escondido durante 150 anos num navio naufragado, um perfume perdido ganhou uma nova vida

O navio naufragado Mary Celestia foi encontrado em fevereiro de 2011 na ilha das Bermudas depois de uma grandes tempestade. Dentro dele, foi encontrado um perfume intacto que esteve escondido durante 150 anos. A fragância foi recriada e ganhou uma nova vida.

O resistente USS Nevada sobreviveu a Pearl Harbor e a testes de bombas atómicas. Foi encontrado agora!

O USS Nevada, navio de guerra da Marinha dos Estados Unidos, participou em alguns dos eventos mais importantes da história americana do século XX. Agora, 70 anos depois de naufragar, foi encontrado no oceano Pacifico.

Altamente resistente, o USS Nevada serviu em algumas das operações mais importantes da II Guerra Mundial e sorbeviveu a Pearl Harbor e a dois testes nucleares.

CORONAVÍRUS

As lições que podemos retirar das consequência económicas da Peste Negra

Há muitas e importantes lições que podemos retirar das consequências económicas que derivaram da Peste Negra e que podem ser hoje aplicadas ao coronavírus.

Naufrágios no Mediterrâneo revelam nascimento da globalização no comércio

Durante várias décadas, arqueólogos vasculharam o Mediterrâneo à procura de naufrágios de embarcações que afundavam nas antigas rotas de navegação. Agora, uma equipa de investigadores encontrou uma frota de naufrágios helénicos, romanos, islâmicos e otomanos que revelam o nascimento da globalização no comércio.

“Isto é verdadeiramente inovador, uma das descobertas mais incríveis do Mediterrâneo“, disse o líder da equipa de investigadores, Sean Kingsley, citado pelo The Guardian. Algumas das embarcações foram encontradas a 2.200 metros de profundidade. Os arqueólogos envolvidos na investigação salientam que estas descobertas podem ajudar a reescrever a história da forma como a conhecemos.

O ataque de uma «lula» ficou parado no tempo durante 200 milhões de anos

Uma cena dramática de um predator a atacar as suas presas ficou capturada e preservada durante 200 milhões de anos, lançando agora luz sobre as criaturas que percorreram o nosso planeta e nadaram nas profundezas dos oceanos.

Uma nova análise de dois espécimes fossilizados descobertos na Costa Jurássica do sul da Inglaterra no século XIX parece ser o exemplo mais antigo conhecido de um predador semelhante a uma lula a atacar as suas presas.

Há 90 milhões de anos a Antártida não tinha gelo e era uma floresta tropical

Alguns sedimentos enterrados extraídos do fundo do mar na Antártida Ocidental contêm pólen antigo, raízes fossilizadas e outras evidências de uma floresta que floresceu há milhões de anos, a menos de mil quilómetros do Polo Sul.

Os investigadores da Nature reconstruíram as condições atmosféricas desta zona através dos sedimentos encontrados e concluiram que há cerca de 92 milhões de anos as médias anuais da floresta existente eram de 13 graus, sendo que no verão poderiam chegar aos 25 graus.

1804

Viagem inaugural da primeira locomotiva do mundo

No dia 13 de Fevereiro de 1804, foi realizada a viagem inaugural do "cavalo mecânico", a primeira locomotiva. A máquina a vapor sobre trilhos destinava-se ao transporte mais rápido e eficiente de matérias-primas.
O director técnico do Museu Ferroviário de Bochum-Dalhausen, Thomas Huhn, explica que os trilhos sempre foram usados na mineração, só que os vagões eram puxados por cavalos. O construtor galês Richard Trevithick foi o inventor do "cavalo mecânico", que podia fazer mais força, sem nunca se cansar. Um cavalo com a força baseada na já então famosa invenção de James Watt, a máquina a vapor.

Encontrado famoso navio que desapareceu misteriosamente no Triângulo das Bermudas em 1925

Os destroços de um navio que desapareceu misteriosamente no Triângulo das Bermudas há 95 anos foram descobertos na costa da Florida, nos Estados Unidos.
O SS Cotopaxi – um navio mercante norte-americano – deixou Charleston, na Carolina do Sul,a 29 de novembro de 1925, carregado com carvão. Porém, o navio desapareceu sem deixar rasto antes de chegar ao seu destino final, Havana, em Cuba.

VÍDEO

Captadas imagens de tubarão de espécie anterior aos dinossauros

Uma equipa de cientistas norte-americanos conseguiu captar nas águas profundas das Bahamas imagens únicas do tubarão-albafar (Hexanchus griseus), conseguindo pela primeira vez rastrear esta espécie no seu habitat natural.

 Vídeo

Sobrevoando a Restinga e a cidade do Lobito (Angola)

 VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

 VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

 Mindelo e São Vicente com muita morabeza

 Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

 Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Francisca Chambal

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Robledo Gioia

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Sandra Augusto

 VI CONGRESSO DA APLOP - Abertura do Painel I - Lídia Sequeira

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Adriano Rosamonte

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Augusto Fernando Cabi

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Madalena Neves

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Fernando Nunes da Silva

 Congresso Intercalar Portos CPLP - Rio de Janeiro – Domingos Fortes (1)

 “EXPERIÊNCIA DO PORTO DE LEIXÕES NA FORMAÇÃO PORTUÁRIA”- Matos Fernandes (1)

 IV Encontro de Portos da CPLP – Menção Honrosa a Lima Torres

 IV Encontro de Portos da CPLP - Sessão de encerramento - Franklim Spencer

 “GEOPOLÍTICA DO MAR” - Carlos Manuel Mendes Dias (1)

 Novo Porto do Dande - Domingos Fortes (1)

 IV Encontro de Portos da CPLP - Franklin Spencer

 «Há muito potencial de crescimento nas relações comerciais Portugal/Brasil» (1)

 Porto de Luanda - 1955

 III Encontro de Portos da CPLP - Adalmir José de Sousa

 III Encontro de Portos da CPLP – Apresentação da Mesa de Honra

 III Encontro de Portos da CPLP - Estudo de mercado - (13) – Debate

 Congresso Intercalar da APLOP - Rio de Janeiro - Março de 2012

Congresso Intercalar da APLOP - Rio de Janeiro - Março de 2012