Início

RIO DE JANEIRO, BRASIL

CDRJ mostra potencial de negócios durante Sudeste Export


A Companhia Docas do Rio de Janeiro (CDRJ) marcou presença no Sudeste Export, Fórum Regional de Logística e Infraestrutura Portuária que reuniu os principais nomes do setor, em São Paulo. O evento, organizado pelo Fórum Brasil Export e realizado tanto de forma presencial como também digital, com a transmissão via Zoom, contou com a participação do diretor de Relações com o Mercado e Planejamento da CDRJ, Jean Paulo Castro e Silva.

ANGOLA

Ministros zambianos avaliam Corredor do Lobito


Os ministros zambianos dos Transportes e da Habitação e Desenvolvimento de Infra-estruturas, Lole Kafwaya e Vicente Mwala, avaliaram o grau de operacionalidade do Caminho de Ferro de Benguela (CFB) e do Porto do Lobito.

Durante as visitas, os dois governantes receberam informações sobre o funcionamento das instituições, que fazem parte do Corredor do Lobito, com destaque aos dados relativos aos volumes de mercadorias movimentadas mos últimos meses.

BRASIL

Docas do Rio cria protocolo para proteger novo balizamento do Canal de Cotunduba


O Grupo de Trabalho (GT) que estuda Projetos de Melhoria de Acessibilidade do Porto do Rio de Janeiro, composto por representantes da Companhia Docas do Rio de Janeiro (CDRJ), da Marinha do Brasil (MB), da Praticagem RJ e das empresas arrendatárias dos terminais portuários MultiRio, ICTSI Rio e Triunfo Logística, parceiras na execução de diversas ações nesse sentido, debateu, durante sua última reunião mensal ocorrida no dia 15, ações com vistas à proteção do novo balizamento implantado no Canal de Cotunduba.

Universidade de Coimbra assina acordo com Câmara Portugal-China PME


A Universidade de Coimbra (UC) anunciou ter assinado um protocolo de cooperação com a Câmara de Comércio Portugal-China Pequenas e Médias Empresas (CCPC-PME).

Num comunicado, o Vice-Reitor para as Relações Externas e Alumni da UC, João Nuno Calvão da Silva, disse que o acordo visa promover a cooperação em domínios como a medicina tradicional chinesa.

Que tipo de mercadoria supõe que os contentores carregam na cabotagem?


Quando vemos um navio porta contentores no mar ou parado no terminal portuário, o que enxergamos a olho nu é um monte de caixas metálicas. Ou, para quem já é um pouco mais familiarizado, diversos contentores empilhados. Mas, afinal, que tipo de mercadoria supõe que eles carregam?

BRASIL

Porto Itapoá recebe «Prémio Via Viva 2020»


O Porto Itapoá recebeu esta sexta-feira, dia 23 de outubro, o Prémio Via Viva 2020 – na categoria Sector Portuário -, concedido pelo Ministério da Infraestrutura em reconhecimento às ações ambientais desenvolvidas.

A escolha do Porto Itapoá pelo Ministério da Infraestrutura como o mais sustentável entre os portos brasileiros teve como base o Índice de Desempenho Ambiental (IDA) desenvolvido pela Antaq (Agência Nacional de Transportes Aquaviários) que já havia premiado o Porto Itapoá em primeiro lugar entre os terminais portuários privados. Referência no setor, o IDA é composto por 38 indicadores relacionados a conformidades legais vigentes no país e boas práticas em gestão ambiental, saúde e segurança de operações.

MOÇAMBIQUE

90% da produção global provém do sector artesanal


Moçambique prevê produzir, em 2020, 461 toneladas de pescado diverso, das quais 416 provêm da pesca artesanal.

A informação foi partilhada pela ministra do Mar, Águas Interiores e Pescas, Augusta Maíta. Aconteceu no programa “Cartas na Mesa” da Rádio Moçambique, que abordou os desafios do sector para o presente quinquénio e o grau de implementação das medidas de prevenção da Covid-19.

BRASIL

Docas do Rio designa Ouvidora-Geral como Encarregada de Protecção de Dados


Com o propósito de adequar as determinações da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD), a Ouvidora-Geral da Companhia Docas do Rio de Janeiro (CDRJ), Danielle Ventura Barreiros de Sousa, foi designada como Encarregada de Proteção de Dados (EPD), função também conhecida como DPO (Chief of data protect office, em inglês). A indicação foi feita pelo diretor-presidente da CDRJ, Francisco Antonio de Magalhães Laranjeira, em portaria.

Depois dos voos, Singapura avança com cruzeiros para lado nenhum


Singapura acaba de receber luz verde para pôr no ativo os seus primeiros “cruzeiros para lado nenhum”, cuja data de arranque está marcada para o início de novembro com muitas restrições por causa da pandemia de covid-19.

Tal como o próprio nome indica, estas embarcações não terão portos de escala, isto é, farão a viagem de ida em volta sem quaisquer paragens.

MOÇAMBIQUE

Porto de Maputo manuseou valor record de carga em 2019


O Porto de Maputo manuseou um valor record de 21 milhões de toneladas de carga em 2019, número que representa um crescimento de cerca de 8% face a 2018, anunciou o Ministério dos Transportes e Comunicações.

O porto contribui com mais de 40% da carga manuseada pelo país que serve de entreposto para os países vizinhos da África Austral, nomeadamente a África do Sul, a cerca de 100 quilómetros da capital moçambicana.
 

ANGOLA

Bélgica pretende investir no sector portuário


O Reino da Bélgica está interessado em incrementar laços e formas de cooperação entre instituições de investigação universitária com Angola, bem como nos sectores portuário, diamantífero e agro-pecuário. A intenção foi manifestada no Lubango pelo embaixador da Bélgica no país, Josef Smets, após encontro com o governador da Huíla, Luís Nunes.

O diplomata afirmou que o seu país pretende notabilizar a sua presença na exploração de diamantes, modernização de portos, além de adoptar mecanismos para desenvolver a agro-pecuária em Angola.

UM LIVRO EM DESTAQUE

Primeira Circum-navegação brasileira e primeira missão do Brasil à China (1879)


Já está disponível o a obra literária sobre a primeira volta ao mundo feita por navio e tripulação brasileira e os bastidores da primeira missão diplomática brasileira à China, factos ocorridos entre 1879 e 1883. A autoria é de Marli Cristina Scomazzon e Jeff Franco. Durante a viagem, muitos marinheiros acabaram ceifados por enfermidades como o beribéri. Alguns desertaram e outros não puderam voltar com a guarnição, pois permaneceram hospitalizados. A viagem de volta ao mundo durou 430 dias, sendo 268 de viagem e 162 nos portos e foi comandada pelo capitão de fragata Júlio César de Noronha.

Metade dos corais da Grande Barreira da Austrália morreu nos últimos 25 anos


Metade dos corais da Grande Barreira da Austrália morreu nos últimos 25 anos. Cientistas alertam que o aquecimento global está a perturbar de forma irreversível este ecossistema subaquático.

Um estudo publicado na revista científica "Proceedings of the Royal Society" deu o alarme sobre a extensão do declínio de todos os tipos de corais desde meados dos anos 1990, no nordeste da Austrália, inscrito em 1981 como Património Mundial da Unesco

As maiores espécies de coral - especialmente os que apresentam forma de mesa e ramificados - foram as mais afectadas, algumas das quais desapareceram da parte mais ao norte da Grande Barreira de Corais.

SURREAL

A pandemia criou o primeiro cemitério mundial de cruzeiros


É nas docas de uma pequena cidade turca que os navios chegam a uma morte antecipada provocada pelas quebras do turismo.

A indústria dos cruzeiros estava forte e recomendava-se. Em 2019, transportou cerca de 30 milhões de passageiros. Era uma indústria de 130 mil milhões de euros que empregava mais de um milhão de pessoas. Ao fim de pouco mais de meio ano, o cenário é bem diferente. Os cruzeiros desapareceram lentamente dos mares. Os clientes também optam por alternativas menos confinantes. Onde é que param os navios?

A resposta pode ser encontrada numa pequena localidade turca. As docas de Aliaga parecem um set hollywoodesco em vias de gravar mais um filme apocalítico. As gigantescas embarcações empilham-se lado a lado, ferrugentas, sujas e num lento processo de autodestruição.

 

BRASIL

Terminal Portuário de Alcântara vence prémio internacional


O Terminal Portuário de Alcântara, no Brasil, foi o vencedor do “Infrastructure Project of the Year Award", na categoria "Engineering" no “13th Global Infrastructure Leadership Forum” patrocinado pela ORACLE. Um evento que ocorre anualmente e onde se destacam projectos que contribuem de forma decisiva para a recuperação das infraestruturas a nível mundial.

Pescadores portugueses sobrevivem a naufrágio a 2.500 km do Cabo da Boa Esperança


Três pescadores portugueses sobreviveram ao naufrágio do navio 'Geo Searcher', tal como o resto da tripulação, ocorrido quinta-feira no arquipélago de Tristão da Cunha, a cerca de 2.500 quilómetros do Cabo da Boa Esperança, disse fonte marítima.

BRASIL

Porto e Recife: uma relação secular de desenvolvimento


Vila de pescadores que cresceu a ponto de tornar-se capital de uma das mais prósperas capitanias da história, Recife deve à região portuária o seu crescimento.

O Recife só ganhou a importância que tem hoje por conta do seu porto. Um local surgido do improviso de pescadores vivenciou, no passar dos séculos, a transformação de ancoradouro de caravelas a cais urbano, por onde passam 230 navios por ano, entre cargueiros e cruzeiros. Se hoje é uma das entradas turísticas do estado, o local também abriu as portas políticas para tornar o Recife capital pernambucana, tirando o posto de Olinda, ainda no século 19.

LIVRO DE 1928

CAMINHO DE FERRO DE BENGUELA - LOBITO - A mais curta estrada para a África Central


Livro de apresentação do CFB (Caminho de Ferro de Benguela) e do território que o mesmo percorre, nomeadamente desde o Lobito à fronteira zâmbiana. Com realce para as condições técnicas e de equipamentos da altura e da importância económica para a zona de África que o mesmo servia. Com extraordinárias fotografias e bonitas ilustrações.

Uma raridade com mais de cem anos.

SUGESTÃO DE LEITURA

A Redondeza da Terra e Outras Histórias da Ciência e da Cartografia


Este livro, baseado na série Histórias da Ciência divulgada no PÚBLICO em 2018, procura despertar o interesse de toda a gente para aspectos da história da ciência normalmente ausentes da literatura especializada. Uma característica partilhada pela maioria dos episódios aqui contados é referirem-se a actividades praticadas por pessoas anónimas ou pouco conhecidas, por vezes até iletradas, em áreas tão diversas como a navegação, a cartografia, a medicina e a história natural.

FAFE, PORTUGAL

Museu das Migrações e das Comunidades


O Museu das Migrações e das Comunidades foi criado em 12 de Julho de 2001 por deliberação da Câmara Municipal de Fafe, como plataforma virtual, com a designação de Museu da Emigração e das Comunidades. Inscreve as suas finalidades na perspectiva do conhecimento dos movimentos migratórios e, em especial, da emigração portuguesa, detendo-se particularmente na emigração para o Brasil do século XIX e na emigração para os países europeus da segunda metade do século XX.

SUGESTÃO DE LEITURA

Monstros marinhos, ou a história ignorada dos Descobrimentos


Eram marinheiros, missionários, exploradores ao serviço da coroa portuguesa, mas os "monstros marinhos" e prodígios da natureza que viram no Atlântico e no Novo Mundo marcaram-nos. Muitos deles foram os primeiros a descrever animais e plantas que só muito mais tarde viriam a ser "descobertos" pelos naturalistas de Oitocentos. Mas esses relatos, do século XV ao XVIII, escritos na maioria em português e em muitos casos nunca publicados, quase não chegaram ao conhecimento dos intelectuais europeus da época. E assim permaneceram até hoje.

É essa proto-história das ciências naturalistas em português que a bióloga e historiadora Cristina Brito está a redescobrir, em relatos antigos de monstros marinhos, sereias, manatins e outros prodígios, que foi desencantar nos arquivos e quer dar a conhecer ao público e aos outros investigadores.

PÁGINAS DA HISTÓRIA

O «homo viator» e a dimensão simbólica da viagem


Segundo Paulo Lopes, mestre em História Medieval, “o universo que envolve os livros de viagens medievais dá bem a ver como o homem medievo é essencialmente um homo viator. Um homem cujo imaginário é ao longo dos séculos cada vez mais preenchido pela dimensão simbólica da viagem e dos espaços longínquos a ela associados. Um homem que anda sempre e vê sempre, seja pelos caminhos físicos do espaço que percorre, seja pelos caminhos iniciáticos que conduzem à salvação da sua alma.”
 

VIAJANDO PELA HISTÓRIA

O Medo do Mar


Para o homem europeu, o oceano era um lugar perturbador, onde o reino da água excluía a vida humana. O homem podia percorrer os rios, navegar nos mares interiores, mas quando as águas se estendiam a perder de vista, até distâncias completamente desconhecidas, como o caso do oceano Atlântico, então o mar transformava-se no reino de todos os monstros.

Vida em Marte ligada às salinas de Aveiro


Um cientista português que lidera uma unidade de astrobiologia em Macau disse à Lusa que está envolvido em projetos para descobrir vida em Marte, uma missão com paragens previstas em Cabo Verde e nas salinas de Aveiro.

“Temos atualmente saídas de campo, recolhas de amostras programadas para cabo verde, interior da china, salinas em Aveiro, salinas que existem no interior de Espanha, porque todas elas têm condições que são extremamente interessantes e bastante úteis para o estudo de Marte”, salientou o responsável pela unidade de astrobiologia do Laboratório de Referência do Estado para a Ciência Lunar e Planetária da MUST.

 Vídeo

Sobrevoando a Restinga e a cidade do Lobito (Angola)

 VIII Congresso da APLOP | Maputo, Março 2015 #1

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #8

 IX Congresso da APLOP | Itajaí, Abril 2016 #1

 Estudo de Mercado do Espaço Aplop, Versão 2.0 [1]

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (4)

 VII Congresso da APLOP - Lobito - Cerimónia de abertura (3)

 VII Congresso da APLOP - Lobito – José Luís Cacho

 Mindelo e São Vicente com muita morabeza

 Operação Urbana Porto Maravilha - Simulação 3D do Sistema Viário

 Operação Urbana Porto Maravilha - Metodologia Construtiva

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Lisender Borges (1)

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Francisca Chambal

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Robledo Gioia

 VI CONGRESSO DA APLOP - Painel I – Sandra Augusto

 VI CONGRESSO DA APLOP - Abertura do Painel I - Lídia Sequeira

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Francisco Venâncio

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Jorge Luiz de Mello

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Marta Mapilele

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Adriano Rosamonte

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Augusto Fernando Cabi

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Madalena Neves

 VI CONGRESSO DA APLOP - Cerimónia de Abertura - Fernando Nunes da Silva

 Congresso Intercalar Portos CPLP - Rio de Janeiro – Domingos Fortes (1)

 “EXPERIÊNCIA DO PORTO DE LEIXÕES NA FORMAÇÃO PORTUÁRIA”- Matos Fernandes (1)

 IV Encontro de Portos da CPLP – Menção Honrosa a Lima Torres

 IV Encontro de Portos da CPLP - Sessão de encerramento - Franklim Spencer

 “GEOPOLÍTICA DO MAR” - Carlos Manuel Mendes Dias (1)

 Novo Porto do Dande - Domingos Fortes (1)

 IV Encontro de Portos da CPLP - Franklin Spencer

 «Há muito potencial de crescimento nas relações comerciais Portugal/Brasil» (1)

 Porto de Luanda - 1955

 III Encontro de Portos da CPLP - Adalmir José de Sousa

 III Encontro de Portos da CPLP – Apresentação da Mesa de Honra

 III Encontro de Portos da CPLP - Estudo de mercado - (13) – Debate

 Constituição da APLOP

Constituição da APLOP

Foto de família

Newsletter: Subscrever | Newsletter: Cancelar | Política de Privacidade e Termos de Utilização